Bruno Lage trouxe consigo diversas mudanças à equipa sénior do Sport Lisboa e Benfica. Uma alteração tática para melhor, novas apostas em jogadores jovens da formação, um novo 11 titular. Muitos jogadores que simplesmente não rendiam com Rui Vitória no comando estão agora a jogar melhor que nunca, como é o caso de Gabriel, Samaris e Rafa Silva, por exemplo. Mas por outro lado também houve jogadores que se destacavam no Benfica de Rui Vitória, e até perderam a titularidade ou uma aposta mais consistente.

Um desses casos é Filip Krovinovic. Sim, ele vem de uma lesão grave, e claro que não ia passar para o 11 titular automaticamente, mas o passado jogo contra o Dínamo de Zagreb deu para tirar algumas dúvidas sobre o lugar que ele terá na equipa encarnada num futuro mais próximo.

Com várias mudanças no 11, Bruno Lage apostou em colocar Krovinovic a jogar na posição que Rafa tem ocupado nos últimos jogos. A jogar na extremidade esquerda e a cortar para o interior do meio campo ofensivo e triangular com Grimaldo e o centro campista. Mas este não foi, de facto, a melhor opção para o croata. Simplesmente não teve nem tão pouco o mesmo rendimento que Rafa tem a jogar nessa posição, nem libertou todo o potencial da sua qualidade. Aos 35 minutos o ponta de lança suíço, Haris Seferovic, sai lesionado e entra Cervi para a ala esquerda. Passámos a jogar sem um ponta de lança por natureza, e Krovinovic passou para o lado de João Félix numa frente de ataque que carecia de um finalizador de primeira. Entretanto o Dínamo de Zagreb marca um golo de penalidade, e nunca mais se viu um lance verdadeiramente perigoso para baliza nenhuma.

Filip Krovinovic foi aposta no 11 titular depois de uma paragem por lesão prolongada
Fonte: SL Benfica

O Benfica ficou sem eficácia no ataque, e o sistema de Bruno Lage estava sem efeito. E o croata? Na minha opinião, andou completamente perdido em campo na totalidade do jogo. Na segunda parte entrou Rafa e mais tarde Zivkovic, para as saídas de Florentino Luís e Gedson Fernandes, que ocupavam o meio campo mais recuado. Bruno Lage lançava todos os jogadores para o ataque, e Krovinovic passou a jogar no meio campo, ainda sem qualquer resultado performativo positivo.

Com tudo isto, é possível afirmar que o lugar em que Filip Krovinovic iria encontrar um melhor rendimento era numa posição 10, ao ocupar o lugar entre o meio campo e os avançados, e ser ele a origem dos ataques perigosos. Com a escolha posicional de Rui Vitória esse lugar existia, até quando ainda jogavam com dois pontas de lança, mas no sistema tático de Lage isto é impossível. O Benfica joga com dois centros campistas, dois extremos que apoiam o meio campo, e dois avançados versáteis sendo um deles João Félix. Não existe um 10 por natureza, não há um centro campista ofensivo, apenas dois que recuperam bolas e apoiam a frente de ataque.

É por isto que Krovinovic terá de se adaptar ao sistema novo para encontrar lugar no 11 inicial, porque qualidade para jogar no Benfica ele tem, só falta uma opção que desperte todo esse potencial.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários