Florentino Luís já não é um nome desconhecido no universo Benfiquista. O jovem médio-defensivo de 19 anos vai já para a sua terceira temporada na Equipa B do Sport Lisboa e Benfica, sendo que desde bem cedo – e à imagem do que acontecia nas camadas jovens – sempre conseguiu mostrar a sua influência.

Aos 19 anos, Florentino já conta no seu curriculum com um Campeonato Europeu de Sub-17 e um Campeonato Europeu de Sub-19. Em ambos os escalões, foi peça-chave no 11 da Selecção Nacional. Ainda não se estreou pela equipa principal do SL Benfica mas, pela forma como tem evoluido, não deverá tardar muito para ser uma das opções a ter em conta para render o sérvio Ljubomir Fejsa na posição mais recuada do meio-campo.

Desde os seus primeiros passos no Seixal que se percebeu que estariamos perante um talento para o futuro. Florentino foi sempre bastante importante nos vários escalões por onde passou e sempre se notabilizou pelo seu posicionamento, leitura defensiva, capacidade de desarme e antecipação. À imagem de Fejsa, é um jogador com um raio de acção bastante grande, parecendo quase omnipresente. Chegou com 17 anos à Equipa B e, logo na primeira temporada na formação secundária do SL Benfica, conseguiu somar 18 jogos – o que acabou por ser notável, tendo em conta a tenra idade que ainda possuía e a competição que disputava, contra jogadores bem mais experientes que ele. Apesar disso, Florentino nunca se amedrontou e sempre disputou cada lance como se fosse tão ou mais maduro que os adversários. Outra componente muito forte do jovem médio-defensivo é, precisamente, a vertente psicológica, pois sempre revelou ser um jogador com uma maturidade invulgar para a idade que tem.

Um ponto que Florentino terá forçosamente de melhorar e que o fará dar um salto qualitativo é quando a equipa se encontra com a bola em sua posse. Já o vemos muitas vezes com a intenção de sair a jogar com a bola controlada e isso é fundamental num médio-defensivo do futebol moderno, principalmente naqueles que estão nos clubes de topo. Eu acredito que Florentino poderá um dia chegar ao patamar desses jogadores, portanto, quanto mais completo melhor. E ele tem potencial para isso.

Florentino Luís tem continuado a sua evolução de forma bastante positiva e parece estar cada vez mais bem preparado para a chamada ao plantel principal
Fonte: SL Benfica

Nesta temporada, com Bruno Lage no comando da Equipa B do SL Benfica, vejo um Florentino diferente, talvez mais próximo daquilo que auguro para o seu futuro. Quando a equipa está em posse, já se vê uma ocupação dos espaços diferente, tentando sempre procurar posicionar-se nos espaços livres para receber a bola e, assim, dar início à primeira fase de construção. Fazendo um parêntesis na avaliação ao jogador – e já que estou a falar de Bruno Lage –, temos aqui a prova em como um modelo de jogo de qualidade e em que se privilegia a posse de bola poderá ajudar muito mais na evolução de um jovem jogador, uma vez que é com a bola nos pés (e não a ver jogar) que os jogadores poderão evoluir mais.

Esta mudança de paradigma na nossa formação secundária revelou-se fundamental para a evolução do jovem médio. Se é verdade que nesta temporada vemos um Florentino com noções mais abrangentes do jogo, também é verdade que a sua progressão se encontrava algo estagnada. Quererá isto dizer que estava em vias de perder qualidades? Nada disso. O que considero que estava a acontecer com Florentino era que estava inserido num modelo de jogo que pouco o beneficiava na sua evolução, onde o seu trabalho era maioritariamente de destruição, ou seja, onde via mais jogar do que propriamente jogava. Como já referi, isso não é, de todo, positivo para um jovem.

As noções de jogo que tem vindo a aperfeiçoar e o salto físico que tem dado ao longo das últimas temporadas, aproximam cada vez mais Florentino do plantel principal do SL Benfica. Neste momento, sendo Andreas Samaris uma carta fora do baralho para Rui Vitória, o jovem de 19 anos tem ainda à sua frente Alfa Semedo e Ljubomir Fejsa. Se, neste momento, me parece impossível que pudesse tirar lugar ao sérvio, não me admiraria que rapidamente relegasse o ex-Moreirense para um terceiro plano. Por isso, aguardemos pelo desenrolar da temporada para perceber até que ponto Florentino está (ou não) preparado para assumir a posição 6 do nosso meio-campo.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários

Artigo anteriorCD Santa Clara – A força ofensiva do vulcão
Próximo artigoLendas do Universo Leonino: João Rocha
Alfacinha de gema e Benfiquista por natureza, Bruno é um obcecado por Futebol e foi através da escrita que encontrou a melhor forma de dar a conhecer essa sua paixão pelo desporto-rei. É capaz de estar desde Segunda-feira até Domingo à noite a ver todos os jogos que passam na TV. Terá sido em pequeno que toda esta loucura futebolística foi despertada pelo seu Pai e pelo seu tio que, respetivamente, o levavam ao Estádio do Restelo e ao Estádio da Luz. Bruno não suporta facciosismos e tenta sempre ser o mais crítico possível para com o seu clube.                                                                                                                                                 O Bruno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.