“Mente sã em corpo são”. Esta expressão seria forte o suficiente para caracterizar Gonçalo Loureiro e entendê-lo como jovem desportista. Gonçalo é natural de Guimarães e foi precisamente no Vitória SC que se iniciou no futebol. Chegou ao Sport Lisboa e Benfica para a equipa de Iniciados e foi a partir daí que tem vindo a trilhar um caminho de excelência, seja dentro ou fora de campo.

Em Setembro de 2018 (e pela segunda vez desde que está no Seixal), foi considerado o melhor aluno do Caixa Futebol Campus no que toca ao escalão de Juniores e referente à temporada 2017/2018. Pessoalmente, considero Gonçalo um jogador especial tendo em conta a sua preocupação em manter um equilíbrio constante entre a sua evolução como jogador e a formação pessoal. Devido a esta distinção, conseguimos perceber muito bem como se comporta dentro de campo. Mas passemos a conhecer um pouco melhor o defesa-central de 19 anos como jogador.

Gonçalo Loureiro é um defesa-central bem constituido fisicamente. Mede 1,86m e apresenta uma robustez física bastante interessante que lhe confere uma grande vantagem nos duelos físicos com os seus adversários. É rápido e ágil e tem um excelente poder de impulsão que o ajuda nas jogadas aéreas. Trata-se também de um jogador bastante consistente no que toca à sua forma física, não apresentando grandes quebras ao longo da temporada.

Com 19 anos feitos recentemente, Gonçalo Loureiro já apresenta uma maturidade competitiva bastante invulgar
Fonte: SL Benfica

Gonçalo tem vindo a melhorar no que ao capítulo técnico diz respeito, principalmente na relação com a bola. Apesar de não ser sublime tem registado uma evolução francamente positiva neste aspecto, muito por fruto dos defesas-centrais da Formação do SL Benfica serem obrigados, cada vez mais, a assumir o jogo com bola nos pés e a participar activamente na construção de jogo da equipa. Gonçalo não é alheio a essa função e é cada vez mais normal vê-lo a sair com a bola controlada desde a defesa. A sua capacidade de passe tem também melhorado e são vários os momentos em que o vemos a executar passes de longo alcance com uma boa percentagem de acerto. Ainda assim, em termos técnicos, é precisamente no desarme (potenciado pela sua óptima orientação dos apoios em situação defensiva) e no cabeceamento que o jovem defesa-central se destaca.

Um detalhe que penso ser bastante importante de destacar é a maturidade com que Gonçalo Loureiro se apresenta em campo. A componente mental deste jogador é muito forte e essa maturidade competitiva fá-lo ter muito boas noções dos seus limites, conferindo-lhe uma alta fiabilidade no eixo central da defesa. Por outro lado, a forma como lê o jogo defensivo, o seu poder de antecipação, a agressividade no ataque à bola, a capacidade de posicionamento, a concentração e a determinação nas acções fazem dele um defesa-central com tudo para singrar na equipa principal do SL Benfica e mesmo na Selecção Nacional.

Apesar de anteriormente já ter destacado Pedro Álvaro como o defesa-central que mais rapidamente poderia chegar ao plantel principal (aqui), sou da opinião que Gonçalo Loureiro está no mesmo patamar do seu companheiro de sector. É certo que este ainda nem sequer se estreou pela Equipa B, mas a sua qualidade não poderá simplesmente passar despercebida. Prevejo até que, dentro de duas ou três temporadas, ambos possam vir a reeditar a dupla da Formação, à imagem do que aconteceu com Rúben Dias e Ferro.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários