Anterior1 de 3Próximo

O Benfica segue em frente na Liga Milionária. Depois do 1-0 caseiros vai arrancar um empate a uma bola à Turquia. Bom resultado tendo em conta a equipa e o terreno difícil. Segue-se o PAOK, teoricamente mais acessível, para definir a presença ou não na fase de grupos da competição.

O jogo começou frouxo, muito dividido a meio campo, com ligeira superioridade encarnada no que toca à posse de bola, e prova disso foram as nove faltas nos primeiros 12 minutos de jogo. Em contraste, apenas um remate. O Benfica foi crescendo, e destacou-se principalmente nos duelos individuais. Fruto disso foi o golo aos 26’, do miúdo Gedson. Um passe atrasado de Pizzi que tinha tudo para correr mal, acabou por ser aproveitado por André Almeida, acaba em Castillo a entregar a Gedson, este entrou na área, deixou os adversários para trás desviou do guarda-redes para iniciar aquela que seria a noite em que ele próprio se iria vestir a pele de diabo e dar início ao inferno dos turcos. E nós a pensar que seria ao contrário.

O “miúdo” do SL Benfica marcou um golo cheio de classe
Fonte: UEFA Champions League

O Fenerbahçe acorda, tem mais bola, e já a fechar a primeira parte inaugura o marcador, através de uma cabeçada de Potuk. A segunda parte traz o aborrecimento da primeira, e esconde aquilo que foi a eficácia defensiva encarnada. O jogo para qualquer benfiquista foi chato, porque não houve um Benfica pressionante, mas a verdade é que em termos defensivos foi verdadeiramente bom.

Os turcos trouxeram outra atitude do balneário, mas foram esbarrando vez após vez na defensiva vermelha e branca. Até final, houve domínio de bola dos turcos, sem criar perigo iminente ou comichão a qualquer benfiquista. Nota para duas estiradas brilhantes de Vlacodimos, a fazer esquecer a insegurança que se sentiu na época transacta sempre que a bola ia à baliza. Nota também para um Ferreyra que continua a deixar muito a desejar.

O Benfica soube gerir o jogo, soube gerir os tempos e soube segurar a bola. Sai da Turquia com um resultado justo e com a certeza de que é mais equipa que este Fenerbahçe.

Onzes Iniciais:

SL Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Jardel e Grimaldo; Fejsa, Gedson e Pizzi; Salvio (Alfa Semedo 72’), Cervi e Castillo (Ferreyra 34’).

SK Fenerbahçe: Volkan Demirel, Isla (Sener Ozbayrakli 79’), Neustädter, Skrtel, Kaldirim, Topal (Baris 65’), Elmas, Ayew, Giuliano, Valbuena (Soldado 65’) e Alper Potuk.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários