Anterior1 de 3Próximo

O jogo começou com uma hora de atraso, mas a espera compensou. Que grande jogo! O Benfica não conseguiu superar um Chaves que se demonstrou a grande nível e que segurou um empate que ninguém pode considerar injusto. A liderança na Liga está em causa, por culpa própria e de alguma displicência em frente à baliza.

Ironia das ironias. O Benfica fez o golo nos descontos na época transata, e eis a vingança flaviense. O jogo até começou bem para os encarnados com Rafa a responder da melhor forma ao cruzamento de Cervi, logo aos três minutos. Mal se sabia como ia acabar. Os pupilos de Daniel Ramos responderam muito bem ao golo, e criaram oportunidades de perigo, com Vlachodimos em grande plano. Começam os azares para o Benfica e Jardel saiu lesionado dando lugar a Conti. Lugar ainda para um remate de Gabriel ao poste numa resposta ao lance de grande perigo de Eustáquio, com Vlachodimos mais uma vez a responder da melhor forma.

Rafa foi o protagonista do lado das águias
Fonte: SL Benfica

A segunda parte começa mais calma, com Seferovic a falhar duas vezes em frente a Ricardo. Os azares continuam e Gabriel sai com queixas para dar lugar a Gedson. E eis que começa o show de Ghazaryan. Livre frontal, a meio do meio campo encarnado. Odysseas achou que dois homens na barreira eram suficientes. Todos achámos. Surpresa! Um tiro de Ghazaryan só parou nas redes. Que bomba!

Jonas é chamado à partida, o Benfica reage bem e Rafa responde com outro tiro, depois de um grande pormenor de Seferovic. Liderança restaurada. Já se preparavam os festejos. Mas os azares não ficam por aqui. Conti com uma entrada imprudente vê o vermelho. O Chaves agiganta-se. Jogada fenomenal aos 94’, e Ghazaryan manda mais uma bomba. Remate cruzado no canto da área e a bola só pára lá dentro.

Que jogo!

Onzes iniciais:

GD Chaves – Ricardo, Paulinho, Maras (André Luis, 89′), Marcão, Djavan, Eustáquio, Gallo, Ghazaryan, Perdigão (Avto, 90′), Niltinho (João Teixeira, 69′), William.

SL Benfica – Odysseas, André Almeida, Jardel (Conti, 16′), Ruben Dias, Grimaldo, Fejsa, Gabriel (Gedson, 65′), Pizzi (Jonas, 80′), Cervi, Salvio e Seferovic.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorOs talentosos Jovane Cabral e Raphinha!
Próximo artigoOnde estão os Patriots? – NFL Semana #3
O Alexandro acredita piamente que se existe um Deus a melhor obra dele é, sem dúvida, o futebol. Saído de uma família benfiquista ferrenha, a escolha acabou por ser óbvia. Divide a paixão que têm pelos encarnados, com a paixão e o sonho de ver o Académico de Viseu de volta à primeira. A escrita é algo que sempre esteve presente no seu percurso, sendo que em todos os seus textos tenta incluir o humor que lhe é tão característico. Nascido e criado em Viseu, decidiu há 5 anos rumar a Lisboa para poder estar mais próximo da Luz, ou como os pais lhe chamam, estudar.                                                                                                                                                 O Francisco não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.