Num mercado onde o SL Benfica já investiu uma avultada quantia para reforçar o seu plantel, tendo em vista uma grande época 2020/2021, o nome de João Mário tem sido também constantemente associado ao clube encarnado.

Neste caso, seria o reencontro entre João Mário e Jorge Jesus, depois de terem coexistido na época de 2015/2016, representando o Sporting CP, numa temporada onde os leões conquistaram a Supertaça e bateram-se até à última jornada taco a taco com o eterno rival SL Benfica pela conquista da Primeira Liga.

A luta acabou por pender para o lado encarnado, mas nessa época João Mário foi um dos melhores jogadores do campeonato, o que acabaria por lhe valer uma ida, no início da época 2016/2017, para o FC Internazionale Milano pela verba recorde de 40 milhões de euros, a maior transferência de sempre dos leões na altura (apenas superada, há uns meses, pela venda de Bruno Fernandes ao Manchester United FC).

Naquela altura, víamos um João Mário que atuava preferencialmente partindo do corredor direito, variando o seu jogo pelo centro do terreno, em zonas mais interiores, onde fazia uso da sua excelente capacidade técnica, visão de jogo, passe e inteligência, sendo muito importante no esquema montado por Jorge Jesus, mas também em movimentos no lado direito, aproveitando a velocidade e cruzamentos para assistir os avançados leoninos, com destaque óbvio para Islam Slimani.

Anúncio Publicitário

No final da época, o médio português fez parte da histórica campanha da seleção portuguesa, concluída com a vitória na final do Europeu de 2016 frente à França, onde foi titular e um elemento que garantiu sempre equilíbrio e confiança no modelo do técnico Fernando Santos.

João Mário fez parte da equipa das Quinas no Euro 2016
Fonte: UEFA

A partir daí, teve uma enorme dificuldade em voltar a mostrar todo o seu futebol de forma permanente e regular como acontecera nessa fase. As passagens por FC Internazionale Milano, West Ham United FC e FK Lokomotiv (as duas últimas por empréstimo em 2017/2018 e 2019/2020, respetivamente) foram todas experiências falhadas e que nunca permitiram a evolução e afirmação do atleta, tal como se previa em idades mais jovens.

Algumas lesões pelo meio, durante os períodos mencionados, assim como a enorme instabilidade e incerteza quanto ao seu futuro a curto/médio prazo podem ainda ser apontados como outros fatores que não potenciaram uma integração total e efetiva em novos clubes, com objetivos e sistemas diferentes nos respetivos países e campeonatos.

Com 27 anos, mais de 40 aparições na seleção nacional e um valor de mercado na ordem dos 13 milhões de euros (dados Transfermarkt), João Mário é visto com bons olhos por Jorge Jesus, ainda mais se olharmos ao pormenor para a posição de médio centro dentro das opções no plantel do SL Benfica: neste momento, Taarabt parece ser o único capaz de desempenhar as funções desejadas pelo exigente modelo de Jorge Jesus, contudo, o marroquino de 31 anos certamente não terá pedalada para uma época inteira.

Assim sendo, atualmente, Gabriel e Pizzi não demonstraram o suficiente para jogar naquela posição, isto analisando os jogos particulares disputados pelo clube da Luz.

Com João Mário, as águias ganhariam um jogador polivalente, com capacidade para jogar a médio centro, na direita e até como segundo avançado, se bem que, nas últimas duas posições, o SL Benfica conta nos seus quadros com jogadores como Rafa, Pizzi, Diogo Gonçalves ou o recém contratado Luca Waldschmidt, daí a carência não ser tanta como se verifica na posição 8.

Veremos se o regresso a Portugal e o reencontro com o técnico Jorge Jesus, treinador que conseguiu retirar o melhor rendimento e qualidade do médio português, realmente acontecerão.