De todos os laterais esquerdos que vi com o símbolo glorioso ao peito, Leonardo Lourenço Bastos foi o que mais me marcou.

O nome Léo ficará para sempre destacado na primeira década deste século. O brasileiro carregou o futebol encarnado puramente com o seu génio. Uma década de um Benfica futebolisticamente frágil e desorientado, onde foi graças a jogadores como Léo que as bancadas ainda foram vibrando.

Chegou ao SL Benfica já com 30 anos e participou em três épocas e meia antes de regressar ao Santos FC. Chegou após a conquista de um campeonato nacional e saiu na época anterior à conquista do seguinte. Também ele se junta a outros grandes nomes da história encarnada que nunca puderam celebrar um título pelo SL Benfica.

Com um futebol muito parecido ao de Grimaldo, o brasileiro fez o que o espanhol faz actualmente, mas num contexto onde não era impulsionado pela qualidade daqueles que o rodeavam.

Um jogador de técnica refinada, com espírito lutador e a jogar de cabeça levantada. Uma inteligência acima da média, toque de bola e criatividade para constantes ingressões ofensivas.

O brasileiro Léo já deixa saudades para os adeptos do SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Enquanto benfiquista ficarei sempre grato por o poder ter visto jogar pelo meu clube, pela sua qualidade e por toda a paixão que sempre demonstrou por ele, tanto dentro como fora dos relvados.

Os adeptos da minha geração irão sempre recordar a primeira década deste século como aquela que viveram com maior intensidade e paixão. Foi a década da nossa adolescência. Anos onde apesar da ausência de conquistas íamos vibrando com as jogadas, golos e desarmes dos nossos ídolos. E o lateral esquerdo brasileiro será sempre um ídolo para esta geração.

Chegou ao SL Benfica em 2005 após o clube conquistar o campeonato nacional depois de uma seca de 10 anos. Participou activamente em três épocas, mas sem alcançar qualquer conquista. Na última época na Luz acabou por praticamente não jogar e rescindiu contrato em Janeiro por motivos familiares. Na época seguinte o SL Benfica voltou a sagrar-se campeão nacional.

Um período inglório para um jogador tão marcante. Não conseguiu aquilo que muitos conseguiram, mas conquistou o que poucos puderam alcançar – as bancadas.

Enorme Léo.

Foto de Capa: SL Benfica

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários