paixaovermelha

De forma inesperada, a comunicação social portuguesa foi autenticamente brindada por mais uns dias de “mercado”. O período de transferências em Portugal fechou oficialmente no dia 1 de setembro. Mas a incompetência berrante por parte da direção do Benfica em contratar um avançado, durante todo o verão, vai, ao que tudo indica, obrigar os encarnados a optar por um free agent. Da lista dos jogadores livres, há um nome que salta imediatamente à vista, não só pela qualidade mas também pela necessidade (do Benfica): Jonas. Como é óbvio, a imprensa não pediu por favor e, nos dez dias que passaram desde o fecho de mercado, o avançado brasileiro foi capa nos jornais desportivos… todos os dias.

Fazem-me lembrar o filho do meu vizinho. Imagino a excitação do miúdo se, após umas semanas de férias no Algarve, vagabundeando diariamente entre AquaShow, Zoomarine, Aqualand e umas brincadeiras com os miúdos lá do Hotel, ouvisse o pai dizer: “filho, vamos voltar para o Algarve, as aulas este ano começam mais tarde”. Seria divino, aposto.

Como eu não estou aqui para criticar as linhas editoriais dos meus (possíveis) futuros empregadores – e bem sei que precisam de vender jornais – centro-me na minha opinião sobre o Jonas: já cá devia estar, ontem!

Jonas vem acrescentar qualidade ao plantel Fonte: imguol.com
Jonas era a peça que faltava ao Benfica
Fonte: imguol.com

O Lima precisa de um bom companheiro de ataque urgentemente. O Benfica precisa da mesma dose. Toda a equipa, aliás. Jonas é esse avançado: móbil, admirável tecnicamente e moderadamente forte na finalização. Os números não enganam: 51 golos e 23 assistências em 156 jogos pelo Valência. Ou seja, o internacional brasileiro marcou em 28% dos jogos. Longe de serem estatísticas estratosféricas, são percentagens benévolas para quem atua na Liga Espanhola.

Não esperem grande capacidade de explosão, ao estilo do Rodrigo. Podem esperar, sim, bastante disponibilidade no jogo entre linhas e muita criatividade. É jogador de qualidade e uma claro upgrade à equipa. Resta saber as condições financeiras (sabendo que, com 30 anos, será quase impossível haver um retorno do investimento) e, principalmente, do estado físico do atleta (que não treina em equipa há vários dias).

Mas, na verdade, Jonas é aquilo de que o Benfica precisa porque não há outra solução. Não há outra hipótese. Afinal não é só a imprensa que recebe dádivas inesperadas.

Comentários