Se há algo que se tem notado no atual treinador do SL Benfica desde que assumiu a equipa principal é a importância que este dá aos treinos. Não faltam ocasiões para frisar, no seu discurso, que pensa sempre, não só “jogo a jogo”, mas também, e principalmente, “treino a treino”.

Esta obsessão e relevo que Bruno Lage dá ao treino faz um pouco um contraste com a impressão que se tinha de Rui Vitória, já que este último chegou mesmo a dizer que “gostamos de treinar menos e jogar mais”, quando perguntado se uma semana de descanso ia fazer bem à equipa depois de um sequência de jogos com poucos dias de intervalo entre si.

Mas a evidência quanto à importância das sessões de treino para Lage não é só uma expressão em conferências de imprensa e flash interviews. É notório que o treinador conta com todo o plantel para lutar nas diversas provas e que as escolhas de Lage até cheguem a divergir das escolhas de Rui Vitória, que usava um onze base nas várias competições e tendo os seus “preferidos” na equipa.

Quanto a Lage, a impressão que dá, é diferente. Para além de um jogador que não foi convocado no jogo anterior poder passar a titular no jogo seguinte, a utilização dos atletas é feita de acordo com o jogo que se aproxima e das armas que cada um detém. Ora, por exemplo, se Gedson tinha feito o último jogo a titular há seis partidas, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, contra o Eintracht Frankfurt, este saltou para a titularidade para que a equipa pudesse usufruir das suas capacidades numa mecânica diferente. E tudo isto é trabalhado e observado nos treinos.

Adel Taarabt voltou a jogar pela equipa principal ao fim de quase quatro anos
Fonte: SL Benfica

Lage observa as individualidades dos seus atletas e impulsiona a sua melhoria nas preparações para os jogos, dando-lhes importância prioritária. Além disso, somos bastante capazes de acreditar que a prestação de um jogador nos treinos dita a sua entrada ou saída do onze, ao invés do nome ou prestígio que traz nas costas. E isto leva-nos a falar de um exemplo bastante sonante: Adel Taarabt.

O marroquino era dado como um atleta perdido, excedentário, completamente fora das contas do Benfica, que só dava despesa ao clube enquanto não fosse transferido. A verdade é que Taarabt mostrou serviço e empenho nos treinos da equipa ‘B’, sendo, aos poucos, chamado a treinar com a equipa principal até chegar ao papel de titular, na partida contra o CD Feirense. Uma pequena prova de que Lage olha primeiro para o treino antes de afastar ou de glorificar um jogador. Se um jogador perde o gás no treino, perde o lugar no campo e vice-versa. A Taarabt, juntam-se uma lista de jogadores que com o antigo treinador pareciam estar completamente fora dos planos e que agora fazem parte do núcleo da equipa.

É bom saber que no comando da equipa está um treinador que investe no momento de forma e no esforço e potencial de um jogador, em vez de olhar para as costas da camisola que veste ou para aquilo que ele fez outrora, mas agora não está com vontade ou força para fazer.

Este é um dos aspetos que gosto em Lage, um treinador que treina.

Saudações Benfiquistas!

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários