sl benfica cabeçalho 1Fizemos coisas muito boas e tivemos posse de bola. Podíamos ter ganho.”. Perante esta afirmação, quero desde já expressar a vontade que tenho de ver Rui Vitória sentar-se em cima de uns rebentos de sequóia, acabadinhos de regar, esperando que estes floresçam por Vitória a dentro.

Vamos lá esclarecer uma coisa: aquilo que se passou no jogo de terça-feira, frente ao CSKA, foi uma vergonha. Uma daquelas que dá raiva ao início e choradeira depois. Parece o resultado de uma pós-discussão entre marido e mulher, em que um saiu pela porta fora e o outro ficou a partir a casa e a chorar no sofá.

Este discurso do “está tudo bem, não se preocupem que lá para Março já somos campeões.”… Este ano não está igual a todos os outros! Não sei se já perceberam, mas tanto Sporting como FC Porto não só ainda não perderam para o campeonato (de referir que o Porto ainda não sofreu golos), como estão a jogar bem melhor do que nós.

Há coisas que não fazem sentido absolutamente nenhum. Onde é que o Bruno Varela é guarda-redes para o Benfica? Ele ontem até nem esteve mal, quer dizer, em defesa dele teve zero culpas no segundo golo, mas porra, continua a tremer e a demonstrar o tipo de imaturidade que não transmite confiança à defesa.

Por falar em defesa: porque é que o Luisão ainda joga? Agora a sério, deixem de parte a questão de ele fazer balneário e ponham as coisas em termos práticos. Ele já não tem pernas para andar nestas vidas, tem a experiência toda, mas isso já não vai chegando e este jogo foi mais uma prova disso. Eu sei que já insisti nesta teoria noutras ocasiões, mas e o KALAICA?!?!?!? Apetece-me asneirar só de pensar na qualidade que o rapaz tem e no quão difícil vai ser vê-lo a calçar os botins para ir dar uns toques ao lado do Lisandro…SIM, DO LISANDRO!

Fonte: Instagram Oficial de Haris Seferovic
Fonte: Instagram Oficial de Haris Seferovic

Outra que ninguém me conseguiu explicar até agora mas talvez o Vitória consiga: está o Samaris no banco, o gajo que joga lá há mais tempo e que percebe melhor como é que a equipa funciona, então por que carga de água é que joga o Filipe Augusto? O Filipe Augusto é o equivalente futebolístico de um arbusto. O Benfica só ganha bolas a meio-campo quando o pessoal as perde lá para os lados dele.

A equipa está mal montada e em tudo mal preparada para o que resta da época, e não me parece que se dê uma espécie de twist mágico, como nos últimos dois anos. Teremos, à força mas teremos, de chegar à conclusão de que o Benfica precisa de mais, e por mais entende-se mais do que um Rui Vitória limitado de ideias e escolhas implantadas, não pelo treinador, como parece ser o caso de por o Salvio (bolsei) a jogar para vendê-lo à força, mas sim por uma força maior chamada Luís Filipe Vieira.

Por favor, daqui para a frente, com ou sem bruxaria do Nhaga, joguem à bola.

Foto de Capa: Instagram Oficial de Luisão

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Comentários

Artigo anteriorPortugal Padel Masters: O Mundo joga em Portugal
Próximo artigoOutra realidade
João Valente é um apaixonado pela arte do futebol. Nascido e criado durante boa parte do tempo em Lisboa, começou a seguir este desporto com uns tenros quatro anos e, desde então, tem sido um namoro interminável. É benfiquista de gema – mas não um que só vê Benfica à frente! É alguém que sabe ser justo quer o Benfica ganhe ou perca e que está cá para salientar os porquês, na sua opinião, dos resultados. Como adepto de futebol que é não segue só a atualidade do futebol português; faz questão também de acompanhar a par e passo o que de mais importante acontece nos principais campeonatos. A conjugar com o seu interesse pelo futebol, e pela malha, desporto que descobriu porque o seu avô era campeão lá na rua, veio a escrita, forma que encontra de expor os seus pensamentos na esperança de um dia se tornar num grande jornalista de desporto, algo que dificilmente acontecerá mas, tudo bem, ele um dia há-de perceber isso.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.