Nunca o SL Benfica tinha jogado com tantos jogadores formados no Seixal. Nunca o Benfica tinha ganho na Turquia. E melhor: foi feito dentro dos mesmos 90 minutos.

E quem é que se destacou? O Luís. Mas quem é o Luís? O Florentino. O Florentino Luís. Mas dizer Florentino Luís é um enrola língua e temos de ser simples, simples como o Luís. Simples como o futebol do Luís.

Bruno Lage tem procurado mostrar a ideia de que todos contam e já é segunda vez que conta e aposta no novo jovem do Seixal na equipa A. O trinco português iniciou os seus primeiros passos no futebol ao serviço do GR Tercena (futsal) e depois partiu para o Real SC (de Massamá), antes de chegar ao Glorioso. No Benfica fez a restante formação desde os sub-13 até ao coletivo principal e muita dessa formação foi pelas mãos de Bruno Lage, seu atual treinador. Estreou-se no plantel principal na vitória esmagadora de dez a zero frente ao CD Nacional e surgiu no onze inicial da vitória por dois a um frente ao Galatasaray.

No primeiro duelo jogou sem pressão – o resultado estava conquistado e os poucos minutos de jogo serviram para mostrar ao jovem jogador o que é jogar dentro do Estádio da Luz e fazer perceber ao próprio os movimentos dos jogadores à sua volta. Em terreno turco, para a Europa League, o trabalho foi mais exigente e com margem de erro mínimo. O médio português jogou ao lado de Gedson Fernandes, um médio rápido e com caraterísticas ofensivas, deixando ao Luís a tarefa mais defensiva do meio-campo.

Temos médio-defensivo para o presente e para o futuro. E é do Seixal
Fonte: SL Benfica

Com pouco mais de 90 minutos dentro de campo, conseguimos perceber duas boas caraterísticas do médio: corte de bola e rápido a decidir. O camisola 61 aproxima-se dos adversários e tenta recuperar os esféricos com a maior das rapidezes com simples cortes. Posteriormente, talvez ainda devido à pressão dos primeiros encontros no plantel principal, é demasiado rápido a decidir e acaba por jogar pelo seguro e levar a bola para linhas de passe, que, sendo boas, não são as melhores.

E o futuro? Que futuro terá Luís nesta equipa? Ora bem, a concorrência é fortíssima e temos de ter a consciência disso. Fejsa tem estado lesionado, mas apresenta-se com notáveis melhorias e poderá ser escolha de Bruno Lage nas próximas partidas. Samaris – desculpem -, este novo Samaris, é também uma escolha segura e ultimamente tem limpado a sua imagem juntos dos adeptos. Gabriel também pode fazer essa posição e, se jogar tão bem como tem jogado, claramente ocupa a terceira escolha de Bruno Lage.

Posto isto, é difícil prever que Luís faça parte das escolhas regulares do treinador encarnado, mas a paciência é um dos segredos do sucesso. Talvez um empréstimo não fosse a melhor solução a curto e médio prazo. Temos de perceber qual a estratégia do clube encarnado, do treinador e do próprio jogador.

Artigo corrigido por: Mariana Coelho

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários