Este fim de semana, Rui Vitória revelou a lista de 30 convocados para o estágio em Inglaterra, que decorre até sexta-feira. Até aqui, estavam às suas ordens 36 atletas, pelo que seis deles foram descartados.

Entre os eleitos, fazem parte o guarda-redes André Ferreira, o defesa-direito Alex Pinto, os médios Ola John e João Amaral e os avançados Chris Willock e Heriberto Tavares.

De todos estes, apenas Heriberto e João Amaral são opções que não consigo entender. Enquanto o primeiro é um assunto para posterior discussão, pela época sensacional no Benfica B, o segundo é o tema deste artigo, pelo que merece uma menção especial.

Anúncio Publicitário

A verdade é que o ex-Vitória FC se revelou bastante nas duas temporadas no Bonfim, o que despertou a atenção dos benfiquistas. No entanto, sabíamos que para ficar no plantel principal era preciso um ritmo muito mais elevado do que o demonstrado e uma ambição desmedida por querer ficar.

A responsabilidade era enorme, bem como a oportunidade, e João Amaral agarrou-a afincadamente. Acredito que se tenha esforçado nos treinos de pré-época, tendo impressionado Rui Vitória no regresso aos trabalhos. No entanto, não somou qualquer minuto no Torneio Internacional do Sado e acabou por ficar de fora da convocatória de 30 jogadores que seguiram para St. George’s Park.

Duas épocas no Vitória FC bastaram para João Amaral ser contratado pelo SL Benfica
Fonte: SL Benfica

O facto de ter sido riscado por Rui Vitória indica que o futuro de João Amaral não passa, por agora, pelo plantel principal do SL Benfica e que pode ser emprestado a uma formação da Primeira Liga ou mesmo estrangeira.

Não duvido do seu potencial, aliás, sou um grande fã do que pode oferecer ao jogo e, em concreto, à equipa que representa. Pessoalmente, desilude-me que esta não convocatória possa ditar o seu futuro na segunda circular.

Com muita pena, é praticamente inevitável que o tratamento a João Amaral seja, em muito, comum ao de outros tantos atletas, a quem lhes foi dada uma oportunidade de vingar na equipa principal, mas que não obtiveram sucesso.

Independentemente do destino, espero que, na próxima formação, possa ganhar a experiência necessária para voltar no futuro e dar uma chapada de luva branca a tudo e todos.

Se, porventura, ficar no SL Benfica, o que duvido, será interessante e desafiante de acompanhar o seu percurso, onde terá a clara oportunidade de se poder mostrar, a um ritmo bastante competitivo. No caso do seu caminho seguir outros rumos, é caso para dizer que João Amaral foi mesmo “só mais um”, apesar de isso não corresponder de todo à verdade.

Foto de Capa: SL Benfica