No ano de estreia de Haris Seferovic a vestir a camisola do Sport Lisboa e Benfica as coisas não correram assim tão bem para o ponta de lança suíço. Veio do Eintracht de Frankfurt e mesmo lá pouco ou nada marcava. Para um ponta de lança marcar golos e ter esse instinto goleador é, de facto, uma das características requerentes. Os números não eram nada convincentes, nem as suas exibições de águia ao peito nessa primeira época.

Em 29 partidas oficiais Seferovic marcou apenas sete golos. Era um ponta de lança que parecia não enquadrar na dinâmica de jogo do SL Benfica (que não foi assim tão boa na época passada), e falhava muito na colocação na grande área. Tendia a descair muito para as extremidades, e na “tática” do Benfica do ano passado fez-nos falta um ponta de lança fixo e forte no remate de primeira.

Já nesta temporada teve de disputar a titularidade com ainda mais pontas de lança no início da época, e com a entrada de Bruno Lage para o comando principal do Benfica tudo mudou.

Principalmente ao emparelhar com João Félix, o ponta de lança suíço parece ter finalmente encontrado o seu lugar quase “perfeito”, onde tem mais oportunidades de marcar e fazer assistências. Com grande mobilidade e um bom posicionamento, Seferovic conseguiu destacar-se de todos os pontas de lança da liga portuguesa e ter o título de melhor marcador até agora.

Jonas é o substituto de Seferovic na frente de ataque do Sport Lisboa e Benfica
Fonte: SL Benfica

Mas este sofreu a grande infelicidade de se lesionar no jogo frente ao Dínamo de Zagreb, e logo aí se viram as grandes diferenças do novo Benfica sem Seferovic. Aliás, sem um ponta de lança em campo, como aconteceu nessa partida, e no qual a diferença se fez sentir no resultado. Seferovic sai lesionado no minuto 35, e nunca mais houve um ataque realmente perigoso para a baliza da equipa croata. A diferença na frente de ataque foi tanta, que nem João Félix marcava desde a lesão de Seferovic. Pergunto-me se isso terá sido uma consequência direta da saída do suíço da frente de ataque.

Contudo o plantel do Benfica tinha um coelho na cartola. Jonas é quem chega para se ocupar de fazer golos, e muito bem cumpre ele essa função. São já três jogos sem Seferovic e com Jonas na titularidade. Em três jogos o brasileiro marcou em dois jogos, só não marcou no último frente ao Moreirense FC. E como está a dinâmica de ataque do Sport Lisboa e Benfica? Diferente diria eu, parece não ser exatamente a mesma, e no empate frente ao Belenenses SAD pareceu faltar ali qualquer coisa que teria talvez mudado a direção para onde seguia o jogo. Creio que a falta de Seferovic se fez sentir tanto na partida em que se lesionou como na partida seguinte.

Mas nas duas últimas partidas foi tudo diferente. Já houve mais faro para golo, e Jonas e João Félix já parecem se entender melhor.

Ainda temos o melhor ataque da liga portuguesa, mesmo sem o melhor marcador. Jonas, nos seus 34 anos de idade, continua a ser uma excelente opção para a frente de ataque do Benfica, e é certo que muitos mais golos virão se a dinâmica e a tática de Bruno Lage continuarem da forma que têm estado.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários