Ao final de cinco temporadas, o Sport Lisboa e Benfica termina o seu jejum e volta a sagrar-se Campeão Nacional de Juniores. Convém notar que, nas últimas épocas, esteve sempre bastante longe deste feito, visto que a última vez em que esteve mais perto foi em 2013/2014, precisamente na época em que defendia o último título conquistado. Com isto em mente, os comandados de João Tralhão comprometeram-se, desde bastante cedo na temporada, a dar tudo para recuperar um título que já escapava ao clube há mais tempo do que deveria.

Nos 20 jogos da Fase Regular – Zona Sul, terminaram na primeira posição com 15 vitórias, três empates e duas derrotas. Há que sublinhar que as duas derrotas foram impostas pelo Sporting Clube de Portugal, sendo que os empates aconteceram nos jogos contra o Clube de Futebol “Os Belenenses” (fora), o Vitória Futebol Clube (fora) e o Atlético Clube Alcanenense (casa). Tendo em conta o número de vitórias conquistadas e o facto dos maiores desaires terem sido com o Sporting CP – que se qualificou para a Segunda Fase – Apuramento de Campeão no segundo posto –, podemos afirmar que esta se tratou de uma fase quase dominadora. Realço a contribuição de Luís Lopes, com 16 golos, sagrando-se o melhor marcador desta fase e os nove golos apontados por Úmaro Embaló, jogador ainda com idade de juvenil (17 anos).

O SL Benfica terminou a Fase Regular – Zona Sul com 57 golos marcados e 14 sofridos, passando à Segunda Fase juntamente com o Sporting CP, a União Desportiva de Leiria e o Vitória FC. Aos quatro apurados da Fase Regular – Zona Sul, juntaram-se os quatro apurados da Fase Regular – Zona Norte: o Futebol Clube do Porto, o Leixões Futebol Clube, o Sporting Clube de Braga e o Vitória Sport Clube.

Paralelamente ao facto de estar cada vez mais longe de ser Campeão Nacional no escalão sénior, foi decisão interna “baixar” os melhores jovens da equipa B à categoria Sub-19, de forma a disputar a Segunda Fase – Apuramento de Campeão e garantir o título deste escalão, uma vez que só assim é que o Clube poderia estar presente na UEFA Youth League 2018/2019, competição onde a sua conquista ainda figura nos planos a curto prazo e na qual o SL Benfica já sucumbiu na Final por duas vezes.

Com o reforço de talentos como Florentino Luís, Gedson Fernandes, Nuno Santos, João Filipe (“Jota”) e João Félix, juntando-os aos já por si cheios de qualidade Pedro Álvaro, Gonçalo Loureiro, Luís Pinheiro, Nuno Tavares, Ilija Vukotić, Tiago Dantas, Diogo Pinto, David Tavares, Rodrigo Conceição, Úmaro Embaló ou Luís Lopes, nesta Fase de apuramento do Campeão voltou a ser por demais evidente o domínio do SL Benfica.

Anúncio Publicitário
“Jota” e João Félix foram o expoente máximo do belíssimo futebol apresentado pelos juniores, na temporada 2017/2018
Fonte: SL Benfica

Os Juniores brindaram-nos com excelentes exibições, não deixando qualquer dúvida sobre qual a melhor equipa em competição. Com vitórias categóricas como os 4-0 ao FC Porto ou os 3-1 ao Sporting CP, o SL Benfica sagrou-se campeão com nove vitórias, três empates (Sporting CP em Alcochete, SC Braga em casa e UD Leiria em Leiria)  e zero derrotas, sendo que, após o feito, ainda faltariam ser disputados dois jogos; um já foi jogado (perdendo em Braga por 1-0), ficando em falta o último jogo desta fase, contra a UD Leiria. Nesta fase, há que destacar os 15 tentos apontados por João Félix, que o coroam como o melhor marcador da fase de apuramento do Campeão, número que poderá ser alargado caso defronte os leirienses.

Num cômputo geral, esta temporada dos juniores do SL Benfica poderá ter ajudado a aguçar o apetite dos adeptos para as próximas épocas, pois com tanta qualidade ao dispor das equipas técnicas temos o futuro mais do que assegurado e o garante de mais umas quantas – muitas!, esperemos – belíssimas exibições. Assim queira a Estrutura, claro.

Parabéns, miúdos! Honraram a camisola. À Benfica.

Foto de Capa: SL Benfica