Anterior1 de 3Próximo

Depois do empate a uma bola em Lisboa, a segunda mão do playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões entre o PAOK e o SL Benfica discutiu-se no Estádio Toumba, em Salónica, numa partida dirigida por Felix Brych.

Para o jogo decisivo dos helénicos, que nunca alcançaram a fase de grupos da competição, El Kaddouri rendeu Léo Jabá. Do outro lado, Rui Vitória trocou Ferreyra e Rafa por Seferovic, face às ausências de Jonas e Castillo, e Salvio, que esteve de fora nas últimas duas partidas.

O início do jogo foi atípico para os encarnados, que foram alvo das investidas de um Super PAOK, que não tardou em marcar o primeiro golo ao minuto 13. Em posição privilegiada na grande área, Maurício assistiu Prijovic para o remate certeiro, que colocou o SL Benfica em dificuldades na eliminatória.

Os encarnados demoraram a acordar e, quando o fizeram, apontaram dois golos num espaço de seis minutos. Aos 20’, Pizzi descobriu a cabeça de Jardel, que empatou a eliminatória e, aos 26’, foi a vez de Salvio converter uma grande penalidade, que colocou o SL Benfica numa posição confortável para a qualificação milionária.

O resultado obrigou o PAOK a marcar dois golos, mas o melhor que conseguiram foi aos 35 minutos, com um cabeceamento poderoso de Léo Matos, após um livre de El Kaddouri, encaixado pelas luvas de Vlachodimos.

Com o jogo controlado após os dois golos, o SL Benfica chegou ao terceiro golo aos 39 minutos, num lance estudado e bem trabalhado por Cervi e Pizzi, que fuzilou a baliza de Paschalakis e colocou o SL Benfica a vencer por 2-4 no total da eliminatória.

A cooperação e entreajuda entre os jogadores foram fundamentais para garantir a qualificação para a fase de grupos
Fonte: SL Benfica

Os segundos 45 minutos começaram com mais um golo dos encarnados, aos 49 minutos. Na sequência de um canto de Pizzi, Varela cometeu falta dentro da área sobre Jardel e Felix Brych não hesitou em marcar grande penalidade. Na conversão, Salvio não desperdiçou e elevou ainda mais a vantagem benfiquista para a qualificação praticamente certa.

Perante a superioridade da formação de Rui Vitória, o PAOK respondeu com oportunidades interessantes, de que se destaca o cabeceamento de Pelkas (52’) e os remates de Maurício (61’) e Léo Matos (62’), que serviram de teste para Vlachodimos, que defendeu com segurança.

A eliminatória estava praticamente resolvida e os minutos finais foram disputados com uma intensidade menor, em que houve espaços para as substituições e faltas cometidas de ambas as partes. Ao minuto 76, a equipa da casa ficou reduzida a 10, com a expulsão de Léo Matos, após uma dura entrada sobre Cervi.

Até ao apito final, destaque para duas oportunidades perigosas de Pelkas (86’) e Shakhov (88’), para boa resposta de Vlachodimos.

Boa exibição do SL Benfica, que chega com mérito à fase de grupos da Liga dos Campeões. O PAOK começou bem, mas não teve argumentos para manter a toada ascendente. Assim que marcou o primeiro golo, os encarnados não pararam e cimentaram a reviravolta e o consequente apuramento para a próxima fase da competição milionária.

O sorteio decorre amanhã no Fórum Grimaldi, no Mónaco, às 17 horas, onde se ficará a conhecer todos os grupos para a edição 2018/2019 e, em especial, o grupo e os três adversários iniciais do SL Benfica, que integra o pote 2, juntamente com o FC Porto, Borussia Dortmund, Manchester United, Shakhtar Donetsk, Nápoles, Tottenham e Roma.

PAOK: Paschalakis; Léo Matos, Varela, Crespo e Vieirinha; Cañas (Shakhov 63’), Maurício, Pelkas, El Kaddouri (Akpom 76’) e Limnios (Warda 46’); Prijovic

SL Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Jardel, Rúben Dias e Grimaldo; Fejsa, Gedson Fernandes e Pizzi (Zivkovic 76’); Salvio (Alfa Semedo 63’), Cervi e Seferovic (João Félix 85’)

 

Anterior1 de 3Próximo

Comentários