Ao fim de 16 anos ao serviço do SL Benfica, Renato Paiva deixou os encarnados para abraçar o seu primeiro desafio no futebol sénior no Independiente del Valle. Talvez por ter sido a meio da época, a sua saída do Benfica foi uma surpresa para muitos, mas a verdade é que o técnico natural de Setúbal já tinha mostrado capacidades para ser testado num patamar competitivo mais elevado.

Foram 16 anos ao serviço do Benfica, onde passou por todos os escalões de formação, tendo ainda estagiado com todos os treinadores da equipa principal. Enquanto treinador principal, conquistou três campeonatos nacionais de juvenis A (2012/2013, 2014/2015 e 2017/2018).

Mas, mais do que os títulos que conquistou, Renato Paiva destacou-se pelos vários jogadores com os quais trabalhou e que viriam a destacar-se na equipa principal e a ser vendidos por muitos milhões; e, sobretudo, pelo futebol que as suas equipas praticaram e que rapidamente sobressaía.

Renato Paiva sempre foi um apologista do futebol de posse, sendo que a equipa que o inspirou a ter esta visão sobre o futebol foi a selecção do Brasil do Mundial de 1982. Para além disso, fez também um estágio na cantera de La Masia em 2012, estágio esse que o próprio assumiu que o fez seguir definitivamente essa visão.

Anúncio Publicitário

Renato Paiva sempre defendeu que um estilo de jogo que estimulasse os jogadores a tomar múltiplas tomadas de decisão em variadas zonas do terreno do jogo faria com que estes evoluíssem mais e se tornassem melhores jogadores e com capacidade para responder a diversos contextos.

Para além disso, Renato Paiva também sempre foi um crítico activo da visão e da mentalidade resultadista que persiste no futebol português, tendo sofrido muito disso quando treinou a equipa B, quando a principal função desta é fazer evoluir os jogadores e prepará-los para a equipa principal.

Agora, irá rumar a um dos mais entusiasmantes projectos desportivos da América do Sul. O Independiente del Valle é um dos clubes em maior ascensão no futebol sul-americano, tendo conquistado a Copa Sul-Americana em 2019. É um clube que aposta na formação e privilegia um futebol de posse, sendo que a aposta no técnico português corresponde a um perfil idêntico ao do seu antecessor Miguel Angél Ramírez.

Caso consiga adaptar-se bem, estou convencido de que Renato Paiva irá mostrar as suas competências e dar continuidade ao projecto do clube. E que um dia possa regressar para treinar a equipa principal do clube do seu coração.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome