Anterior1 de 3Próximo

A vitória do Benfica sobre o Rio Ave no encerramento da penúltima jornada do campeonato deixa as águias apenas a um ponto de celebrar o 37º título de campeão nacional.

Os comandados de Bruno Lage entraram no Estádio dos Arcos cientes da vitória do FC Porto e de que uma vitória manteria o sonho da Reconquista mais próximo de se tornar real. Apesar da pressão existente, o Benfica não tremeu e somou mais três pontos perante uma equipa que viu as ambições de chegar à Europa quebradas pela goleada do Vitória SC sobre o Belenenses SAD.

A primeira parte arrancou com o golo madrugador de Rafa aos 3’. Num ataque rápido em que o Rio Ave procurava acompanhar a condução ofensiva do Benfica, foi precisamente o extremo que deu origem ao lance, ao descobrir Pizzi e, de seguida, André Almeida no flanco direito. O lateral cruzou, a bola embateu no pé de Júnio Rocha e esta dirigiu-se a Rafa que, perto de Léo Jardim, aproveitou para fazer o primeiro do jogo.

Rafa abriu o marcador no Estádio dos Arcos

Com vantagem no marcador, o Benfica estava mais à vontade, mas não totalmente à vontadinha, como diz a expressão. Através de múltiplas combinações ofensivas, os encarnados mostravam dificuldade em furar a defesa vilacondense, que aproveitavam os cortes e o desequilíbrio para construir com Nuno Santos e Gelson Dala como os grandes motores ofensivos.

Aos 23’, o Rio Ave chegou mesmo a fazer golo, mas Tarantini estava em posição irregular. O lance foi precedido de outra grande chance da equipa de Daniel Ramos, através de um livre em arco de Nuno Santos para defesa aflita de Vlachodimos.

Os últimos minutos viram o segundo golo dos encarnados, que nasceu de uma disputa entre Florentino e Gelson Dala, em que o extremo caiu na área, mas Hugo Miguel deixou seguir. A jogada prosseguiu com combinações entre os quatro homens mais ofensivos do Benfica, com destaque para um passe algo largo de Seferovic para a grande área, que Léo Jardim conseguiu tirar … mas esqueceu-se de João Félix que, mesmo ao lado, empurrou a bola para dentro das redes.

A segunda metade da partida começou com a reação do Rio Ave ao resultado, ao fazer o 1-2 aos 50’. Nuno Santos ultrapassou Florentino e passou diretamente para Tarantini, em posição legal, que não falhou. Mas seis minutos depois, o Benfica também não falhou e o terceiro golo teve a autoria de Pizzi, após uma insistência de Grimaldo na grande área e um passe interior para o remate rasteiro do transmontano que ainda bateu no poste antes de entrar na baliza.

O golo de Pizzi deu mais conforto ao Benfica

À passagem do minuto 60, André Almeida (61’) teve uma oportunidade sublime para aumentar o marcador e, aos 63’, Gelson Dala cabeceou para defesa apertada de Odysseas. Mais tarde, aos 74’, foi a vez de Seferovic estar perto do golo número 100 dos encarnados no campeonato; e Jambor (76’) construiu um bom momento para o Rio Ave chegar ao segundo golo. Valeu Vlachodimos!

O segundo golo chegaria perto do fim, aos 84’. Galeno cruzou na esquerda para Ronan cabecear para dentro das redes, provando que o clube não se derrota facilmente.

Ronan fez o segundo tento do Rio Ave, que tremeu os adversários

O apito final, depois de algum sofrimento à mistura, selou a vitória do Benfica, num jogo que se esperava difícil – e foi – dada a importância de manter a liderança e a diferença pontual perante o FC Porto. O Rio Ave mostrou uma personalidade forte e não se desmotivou facilmente.

No próximo fim de semana, a última jornada irá apurar as principais indecisões na tabela classificativa, entre as quais a atribuição do troféu de campeão. O Benfica defronta o CD Santa Clara (8º classificado) no Estádio da Luz e o Rio Ave desloca-se ao Bonfim para medir forças com o Vitória local (13º), já salvo da descida de divisão.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Rio Ave FC: Léo Jardim; Júnio Rocha, Borevkovic, Rúben Semedo e Fábio Coentrão; Tarantini (Jambor, 59’), Filipe Augusto, Nuno Santos, Gelson Dala e Gabrielzinho (Galeno, 59’); Bruno Moreira (Ronan, 79’)

SL Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo; Pizzi (Gedson Fernandes, 81’), Samaris, Florentino Luís e Rafa Silva (Cervi, 90’); João Félix e Seferovic (Jonas, 93’)

Anterior1 de 3Próximo

Comentários