Rui Vitória vai continuar a ser o treinador do Benfica! Antes de passar à apresentação dos factos, permitam-me, na qualidade de redator da secção Benfica, que dê a minha opinião em primeiro lugar.

Creio que todos estão a par dos acontecimentos que têm marcado os últimos dois dias, desde a derrota por 5-1 com o Bayern. Se não estão, não se preocupem, pois terão acesso a tudo neste artigo.

Aquilo que se tem sucedido é o culminar de todo um conjunto de resultados e exibições que não têm agradado aos benfiquistas. Apesar de todas as competições estarem em aberto – excluindo a Liga dos Campeões -, vê-se claramente que algo não está bem e que a mudança é imperial.

A escolha em manter Rui Vitória à frente do “projeto do Benfica” tem suscitado (e vai continuar a suscitar) imensas opiniões. Há quem o defenda e considere que é o treinador ideal, e há quem, pura e simplesmente, não concorde com a medida do presidente Luís Filipe Vieira.

Entendo ambas as visões, mas concordo, sem dúvida, com a segunda. Passo a explicar o porquê.

Rui Vitória atingiu o seu limite no Benfica! Em quatro épocas, conquistou seis títulos e foi, a par com Jorge Jesus, responsável pelo tetracampeonato. Lançou vários jovens do Caixa Futebol Campus; foi acesamente defendido por Luís Filipe Vieira; falhou na conquista do penta e, num espaço de apenas duas épocas, colocou o Benfica a jogar de forma péssima. Passou do 4x4x2 para o 4x3x3 num ápice; fez uma quantidade enorme de escolhas erradas e não conseguiu extrair o melhor que os jogadores conseguem dar. A equipa também tem culpa, é verdade, mas o treinador é o principal responsável pela esquematização do sistema tático e por colocar a equipa a jogar. Neste aspeto, falhou redondamente: os resultados são prova disso.

Este voto de confiança é inesperado. As palavras de Luís Filipe Vieira na conferência de imprensa tentaram ser esclarecedoras, mas falharam no mais importante: e se tudo corre mal? Se a equipa perde? Se a equipa é eliminada da Taça de Portugal? Se a equipa é eliminada da Taça da Liga? Se a equipa falha na “Reconquista”?

Enquanto benfiquistas, é importante refletir sobre estas questões, coisa que Luís Filipe Vieira não deve ter feito. Acredito numa decisão “amadurecida”, mas não suficientemente reflexiva do momento atual, do “descontentamento generalizado dos benfiquistas”, como carinhosamente apelidou, e do que realmente é necessário: a mudança!

Agora, cabe-nos tentar encontrar algum cabimento nesta sequência de acontecimentos! Cabe-nos continuar a questionar e, mais importante, ver a maneira como a equipa irá entrar em campo nos próximos jogos. Questionar, questionar e questionar a enorme facada que Luís Filipe Vieira pregou aos benfiquistas!

Quanto a factos não há argumentos e percebo o orgulho excessivo do presidente naquilo que Rui Vitória construiu. “Tivemos dois treinadores e ganharam 16 títulos em 10 anos” foi uma das frases desta conferência, frase esta que não deixou de atacar os rivais e, principalmente, os adeptos.

Rui Vitória mantém-se como treinador do Benfica. O que é que esta decisão pode significar para o futuro do clube?
Fonte: SL Benfica

Recorrendo aos factos, todo este buzz em torno de Rui Vitória culminou com a derrota por 5-1 com o Bayern, que afastou os encarnados da Liga dos Campeões e que os atirou para os 16 avos de final da Liga Europa.

O mau resultado e a péssima exibição da equipa na Allianz Arena motivaram todo um debate sustentado em factos reais e concretos e também em muitos rumores. Muita informação que saiu para a rua foi completamente distorcida, quero eu acreditar.

Foi noticiado que, devido aos maus resultados e às exibições apresentadas, o percurso de Rui Vitória estava perto da saída. Foram apontados os nomes de Rui Faria, Luís Castro e até de Jorge Jesus para possíveis sucessores. A discussão foi-se alastrando, mas sem nenhuma informação concreta e oficial. Sabia-se que o fim da linha se aproximava, mas tudo não passava de meros rumores.

Na sequência da suposta rescisão de contrato, foi apontado que Bruno Lage, Renato Paiva, Luisão e Júlio César ficariam encarregues de orientar a equipa de forma interina até se chegar ao nome do próximo treinador.

A manhã do dia de hoje foi decisiva para desfazer todas as dúvidas: na sequência das reuniões – urgentes – que Rui Vitória teve com Luís Filipe Vieira, foi decidido que iria continuar ao leme dos encarnados, não como uma segunda oportunidade, pois nunca tinha saído, mas como um voto de confiança reforçado.

A decisão deu origem a uma conferência de imprensa dada por Luís Filipe Vieira às 20 horas do dia de hoje.

Nesta comunicação, o presidente manteve a confiança total e absoluta na continuidade de Rui Vitória, justificando-se com os títulos que alcançou, com os jogadores do Caixa Futebol Campus que lançou e com o comprometimento com o atual projeto dos encarnados. Afirmou que nenhum dos eventuais treinadores sucessores tinha sido contactado, muito menos Jorge Jesus, que estava praticamente a ser dado como certo na estrutura técnica. Simplesmente foram os nomes que “vieram à baila”.

Quanto ao “descontentamento generalizado dos benfiquistas”, pura e simplesmente não lhe atribuiu qualquer importância. Realçou – e com razão – que todos os títulos estão em aberto, reforçando, também, os títulos conquistados e o Caixa Futebol Campus.

A decisão foi tomada às 7:30 horas do dia de hoje e a primeira pessoa a sabê-lo foi Tiago Pinto. Seguiu-se a reunião com Rui Vitória e a oficialização daquilo que, na visão de Luís  Filipe Vieira, sempre se soube: Vitória iria continuar no Benfica.

Agora questiono: se Rui Vitória era, desde o primeiro momento, o treinador ideal para o “projeto do Benfica”, e se os benfiquistas mal foram tidos em consideração pelo presidente, porquê é que tudo isto aconteceu? Porque é que tivemos de levar com esta facada em cima, numa altura em que tínhamos esperança de que Rui Vitória iria embora? Porquê? É o que gostava de saber.

O que fazemos agora? Para onde queres levar o Benfica, caro presidente? E se tudo correr mal? Vais convocar outra conferência e dar mais um voto de confiança ao atual treinador? Ou vais, por uma vez na vida, e neste caso em concreto, ouvir os adeptos e os sócios benfiquistas?

Deixo estas perguntas em aberto. Não sei se serão respondidas, mas pelo menos espero deixar bem clara a minha posição neste assunto.

Saudações benfiquistas!

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários