cabeçalho benfica Jogo a um domingo à tarde a lembrar outras alturas, bom tempo e a família benfiquista a juntar-se para o desafio frente ao Boavista. Estavam reunidos os ingredientes para uma boa tarde de futebol. Do outro lado estava o Boavista de Petit, uma equipa à imagem do seu treinador, aguerrida, que vai à luta sempre e forte defensivamente. Foi essa a imagem durante a primeira parte. O Benfica entrou pressionante, como era sua obrigação, mas encontrou um Boavista com a lição bem estudada, que soube tapar os caminhos até à baliza de Mika, com Idriss a fazer bem a sua função de não dar espaço a Jonas. O jogo entrou no ritmo mais lento que o Boavista pretendia. O Benfica tinha a bola mas não conseguia encontrar o caminho para a baliza de Mika. Mas foi na altura em que o Boavista começava a ficar mais confortável no jogo que o golo apareceu. Uma assistência de Gaitan e o miúdo Gonçalo Guedes rematou lá para dentro. Bonito golo deste jovem valor, que foi chamado esta semana à selecção. O intervalo tinha chegado com uma vantagem justa. Não tinha sido um jogo bonito, muito pela estratégia do Boavista, que estava a resultar até ao golo.

Carcela voltou a estar em bom plano Fonte: SL Benfica
Carcela voltou a estar em bom plano
Fonte: SL Benfica

Na segunda parte, Petit quis mudar a estratégia dos axadrezados e apostou em jogadores de carácter ofensivo. Mas o que se esperava ser uma atitude mais ofensiva do Boavista não foi mais do que apenas uma tentativa do técnico de tentar mudar a história do jogo. O Boavista mostra muitas dificuldades no ataque e nunca assustou o Benfica (o primeiro remate aparece aos 85 minutos). Mas, defensivamente, conseguiam adiar o golo dos encarnados.

O Benfica não colocou a velocidade que costuma colocar em campo, apesar de ter o controlo absoluto, mas o jogo caiu num tédio, muito por culpa também do jogo a meio da semana. O jogo ia caminhando para o final, com o Benfica a ter tudo controlado sem se esforçar muito, e Carcela, nos minutos finais, deu a tranquilidade total aos benfiquistas ao marcar o 2-0. Foi uma vitória justa, onde não foi preciso correr muito, frente a um adversário que se apresentou na Luz a saber o que fazer em termos defensivos mas que ofensivamente nunca assustou. Carcela voltou a mostrar-se em bom plano e começa a reclamar mais tempo de jogo; Talisca continua a não acrescentar nada à partida.

A Figura: Gonçalo Guedes – O miúdo continua em bom destaque. Depois de ter sido chamado à selecção, desfez o nulo. Já começa a ser uma peça fundamental nesta equipa.

O Fora-de-Jogo: Raul Jiménez – Em 45 minutos, pouco acrescentou à equipa, e a prova disso foi o facto de ter sido substituído aos 55 minutos. O mexicano tarda em aparecer e em entrosar-se com a equipa.

Anúncio Publicitário