Anterior1 de 3Próximo

O SL Benfica continua a perseguir o sonho do penta. Por enquanto, é só um sonho. A equipa de Vitória começou frenética diante de um Desportivo das Aves que não arredou pé da sua zona de conforto.

Os primeiros 20 minutos foram repartidos no que concerne à posse de bola: jogo aberto, rápido e focado nas balizas.

O Benfica, desfalcado, apresentou o menino João Carvalho para suprimir a lacuna deixada por Pizzi. O jovem português fez uma partida muito pouco conseguida. Arrisco-me a afirmar que foi a pior de João Carvalho ao serviço do Benfica: faltou entrosamento com os companheiros de equipa e perdeu a bola inúmeras vezes no miolo.

O jogo não teve muita história. Foi só Benfica, Benfica, Benfica. Trocas de bola entre Fesja (que esteve imperial) e os extremos encarnados, que muitas vezes fizeram o papel de médios alas para se envolveram na criação de ataque organizado pelo meio.

A fraca disciplina tática do Aves pouco importava quando era o guardião Adriano Facchini a travar as investidas de Jonas, de Rafa, de Jardel… A formação de Rui Vitória decidiu mudar o paradigma e, ao invés, da troca intensa de bola que pecava pela previsibilidade, encorajou os seus jogadores a procurarem o confronto individual e os remates de longe. Fez-se luz na luz: Jonas, mais uma vez Jonas, servido por Cervi ao minuto 71 inaugurou o marcador – aumentou para 31 o número de tentos na liga NOS.

Um só golo não fez descansar os adeptos e os homens em campo: Fesja tenta o golo através de uma bomba fora de área e depois de o incansável Adriano defender, o central Rúben Dias fuzila a baliza do Desportivo das Aves e fecha o jogo com o 2-0.

O SL Benfica soma assim uma vitória que, não sendo tirada a ferros, não foi nada fácil. O Desportivos das Aves bateu-se bem no Estádio da Luz – a formação de José Mota defendo bem e soube ser aguerrida, apesar do mau sentido tático e das falhas posicionais nas alas e no centro do terreno.

Não é possível deixar passar a análise deste jogo sem referir algo que sucedeu logo após o mesmo. O Presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, veio a público, através da conferência de imprensa no final do jogo, defender a marca Benfica.

O líder máximo dos encarnados fez questão de afirmar: “O Benfica é o único clube que tem futuro”; “O Benfica é o clube mais invejado em Portugal” – de forma a justificar as motivações daqueles que estão contra o Benfica, dos que serão “punidos fortemente”. Foram as declarações de que todos estavam à espera. Fica a mensagem: “Unam-se à volta do Benfica”.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários