logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SL Benfica

SL Benfica 2-0 FK Dínamo de Kiev: O sonho europeu continua

A CRÓNICA: VALEU O SL BENFICA DA PRIMEIRA PARTE

Em noite decisiva de Liga dos Campeões, o SL Benfica recebeu e venceu o FK Dínamo de Kiev por 2-0 sempre com os ouvidos e olhos postos no que se passava em Munique.

Na primeira parte, vimos os encarnados a entrar muito fortes e pressionantes. O árbitro apitou para o início do encontro e logo surgiu a primeira oportunidade de golo. Yaremchuck a atirou para grande defesa de Bushchan e, na recarga, Rafa chutou para a bancada.

A resposta acabou por surgir aos sete minutos. Grande oportunidade para o FK Dínamo de Kiev, que aproveitou algumas fragilidades na defensiva encarnada. Buyalskyy, só com Vlachodimos pela frente, ofereceu o golo a Tsygankov que atirou por cima da barra. Era o jogo dos desperdícios.

Com o Dinamo a crescer, a Luz pedia uma reação da equipa de Jorge Jesus. Aos 10 minutos, na sequência de um contra-ataque, Pizzi apareceu à porta da grande área a finalizar para nova intervenção de Bushchan.

Depois de vários avisos, o primeiro golo acabou por surgir. Aos 16 minutos, o mecanismo de recuperação de bola funcionou nos pés de João Mário 1-0 e Yaremchuck concluiu a jogada ofensiva encarnada da melhor forma.

O 2-0 surgiu poucos minutos depois. Gilberto, depois de mais uma manobra de pressão ofensiva encarnada que forçou o erro adversário, apareceu na cara do guardião adversário para aumentar a contagem. Com a consequente vantagem do FC Bayern de Munique frente ao FC Barcelona, cada vez mais se acreditava na passagem na Luz.

A segunda parte acabou por ser negativa para os encarnados, sem que isso significasse alterações no resultado. O FK Dynamo de Kiev começou a crescer e os encarnados começavam a recuar.

Aos 63 minutos, destaque para Tymchick que criou um calafrio na área encarnada. Já se começavam a ouvir assobios no estádio. Aos 74 minutos, Vlachodimos foi obrigado a intervir após cabeceamento de Tymchick e os fantasmas do dérbi pareciam estar a aparecer.

Jorge Jesus foi forçado a mexer: Yaremchuck saiu lesionado e a equipa acabou por ficar totalmente empurrada para trás. Contudo, não houve alterações no resultado e festejou-se na Luz a passagem aos Oitavos-de-Final da Liga dos Campeões.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Roman Yaremchuck – Uma entrada no onze que não se esperava, mas que acabou por se revelar decisiva. O avançado ucraniano foi uma dor de cabeça para a defesa do FK Dínamo de Kiev e cumpriu à risca aquilo que era pretendido. Desbloqueou o resultado e a boa exibição apenas foi travada pela lesão. Menção honrosa para João Mário que encheu o meio-campo encarnado.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Viktor Tsygankov – Noite apagada para o homem golo dos ucranianos. Tsygankov apanhou um Grimaldo em tarefas mais defensivas e poucas vezes conseguiu criar o desequilíbrio. A única vez que esteve perto de marcar, falhou de forma clamorosa.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

A equipa de Jorge Jesus apresentou-se num 3-4-3, muitas vezes desdobrado num 3-5-2 com Pizzi a encostar-se a Yaremchuck. A equipa mostrou-se muito pressionante e a aproveitar os erros do adversário para criar dificuldades nas transições. O trio de centrais encarnados apresentava ainda algumas dificuldades principalmente quando o FK Dínamo de Kiev forçava a chegada à área e João Mário passava a sentir um maior fôlego no meio-campo pela entrada de Pizzi.

Gilberto assumia-se como lateral mais ofensivo que Grimaldo (a cobrir o maior goleador do Dínamo de Kiev, Tsygankov). Apesar dos dois golos marcados, ainda se notou alguma instabilidade nos encarnados, que não conseguiram gerir com bola a vantagem de 2-0. As substituições operadas por Jorge Jesus vieram no sentido de tentar corrigir essa lacuna.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Vlachodimos (8)

Grimaldo (6)

Otamendi (6)

Vertonghen (5)

André Almeida (4)

Gilberto (8)

Weigl (6)

João Mário (8)

Rafa (4)

Pizzi (7)

Yaremchuck (8)

SUBS UTILIZADOS

Everton Cebolinha (5)

Lázaro (5)

Taarabt (5)

Paulo Bernardo (-)

Darwin Nuñez (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – FK DÍNAMO DE KIEV

A equipa de Mircea Lucescu apresentou-se num 4-1-4-1 com o ponta de lança Garmash a assumir-se como um pivot a jogar de costas para a baliza com o objetivo de mobilizar a restante linha ofensiva dos ucranianos. O maior goleador Tsygankov acabou por passar ao lado do jogo, sendo que, apesar de tudo, houve momentos em que a equipa conseguiu explorar as debilidades encarnadas, mas sem que isso se materializasse em golos.

Ao longo dos 90 minutos não se viu uma equipa em retranca defensiva, mas sim a tentar os passes de rutura em posse de bola. Nos minutos finais, conseguiram encostar o SL Benfica à grande área, mas o resultado manteve-se inalterado.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Bushchan (6)

Tymchyk (5)

Zabarnyi (4)

Syrota (4)

Mykolenko (4)

Sydorchuk (5)

Tsygankov (4)

Shaparenko (6)

Buyalskyy (4)

Verbič (4)

Garmash (6)

SUBS UTILIZADOS

Carlos de Peña (4)

Eric Ramírez (-)

 Andriyevskyi(-)

Karavaev (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

SL Benfica

Bola na Rede: O SL Benfica mostrou-se muito pressionante hoje. Foi uma estratégia face algumas debilidades do Dínamo e a entrada de Pizzi e a exibição de João Mário ajudaram nisso?

Jorge Jesus: Foi mais a ideia da equipa. O SL Benfica é uma equipa que não joga sem pressão. Quando está a defender, dentro do meio-campo adversário, defende a correr para a frente. Só defende para trás quando é obrigado. Na minha primeira passagem cá, o SL Benfica já jogava assim. Na segunda parte, mudámos a estratégia porque já estávamos fatigados. Esperar um momento para poder pressionar na entrada do meio-campo do adversário. Com as substituições, pude comunicar a eles para pressionarem mais o portador da bola e começamos a ser mais agressivos.

O João estuda jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. A sua grande paixão é sem dúvida o jornalismo desportivo, sendo que para ele tudo o que seja um bom jogo de futebol é bem-vindo. Pode-se dizer que esta sua paixão surgiu desde que começou a perceber que o mundo do futebol é muito mais que uma bola a passear na relva. Apesar de estar distante do clube do seu coração, procura ao máximo não perder nenhuma novidade da cidade invicta e do futebol em geral.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

O João estuda jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. A sua grande paixão é sem dúvida o jornalismo desportivo, sendo que para ele tudo o que seja um bom jogo de futebol é bem-vindo. Pode-se dizer que esta sua paixão surgiu desde que começou a perceber que o mundo do futebol é muito mais que uma bola a passear na relva. Apesar de estar distante do clube do seu coração, procura ao máximo não perder nenhuma novidade da cidade invicta e do futebol em geral.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

FC PORTO vs CD TONDELA