sl benfica cabeçalho 1

Uma reedição da final da Taça de Portugal de há 4 anos para encerrar a época 2016/17 do futebol nacional. Benfica enfrentava o Vitória de Guimarães para a final da Taça Rainha, no Jamor.

A primeira parte começou da mesma forma que todo o jogo decorreu, com grande equilíbrio. O Benfica acabava por ter mais posse de bola, mais tempo com a bola nos pés do que o Vitória, mas o bloco defensivo extremamente organizado dos vitorianos permitia equilibrar a balança com recuperações de bola na hora certa, levando a contra-ataques muito perigosos. Tanto é que, na primeira meia hora de jogo os lances com maior perigo pertenceram exatamente à equipa da cidade berço, que podia ter inaugurado o marcador e adiantar-se na corrida para levantar o troféu.

No entanto, a primeira parte não trouxe um futebol muito atrativo por nenhuma das equipas, sendo, na verdade, marcada por aspetos negativos. Uma metade sem golos, muita chuva, muitas paragens e duas lesões que levaram a duas substituições forçadas.

Aos 24 minutos, Marega choca com Fejsa, choque este que foi fatal para a exibição do sérvio nesta partida. Com muitas queixas no joelho esquerdo, e depois de uma grande paragem para assistência, Fejsa foi obrigado a sair e dar lugar ao grego Samaris.

Anúncio Publicitário

O Benfica acusou esse contratempo e o Vitória tentou agarrar o jogo com ocasiões de golo. Contudo, logo se repôs o equilíbrio e o jogo foi empatado para intervalo. Porém, sem antes levar a mais uma substituição forçada, desta do lado do Vitória de Guimarães. Num lance com Grimaldo, Hurtado saiu com muitas queixas na coxa.

Depois do intervalo, os onze que saíram na primeira parte, foram os que entraram na segunda. O Vitória de Guimarães, no entanto, não se preparar para dez minutos infernais.

O Benfica entrou mais forte e, três minutos depois do recomeço do jogo, João Miguel defende para a frente um remate forte de Jonas e aparece Raúl Jiménez para encostar de chapéu. Um grande golo do mexicano para delírio dos milhares de benfiquistas na bancada que gritaram com o mexicano que festejou com uma máscara.

Raúl Jiménez festejou de forma carismática o primeiro golo da partida Fonte: SL Benfica
Raúl Jiménez festejou de forma irreverente o primeiro golo da partida
Fonte: SL Benfica

Pouco depois dos festejos, o Guimarães acusou o golo e o Benfica continuou forte. Não tinham passado cinco minutos desde o primeiro golo, Nélson Semedo cruzava para Sálvio que, de cabeça, marcava o segundo golo e começava a fazer acreditar que os encarnados iriam conquistar o troféu esta tarde.

Depois destes dez minutos aterradores para os vitorianos, o Benfica recuou linhas, sempre ‘à coca’ de um deslize defensivo para tentar ampliar ainda mais a vantagem.

Contudo, já nos últimos 15 minutos da partida, foi o contrário que aconteceu. Depois de uma paragem (mais uma neste jogo) para assistir Ederson, foi cobrado o canto que deu o golo a Zungu. Canto batido, Zungu a aparecer entre os centrais das águias que não voaram alto o suficiente para impedir que se reduzisse a vantagem. Prometiam-se 15 minutos intensos até ao final do jogo.

Promessa cumprida e houve lances que permitiam o 3-1, como o 2-2. Para desespero de ambos os lados, nenhum deles aconteceu e o apito final ditou a 26ª. Taça de Portugal para o Benfica.

Rui Vitória conquistou assim o troféu pelo Benfica, depois de, há quatro anos atras, ter vencido os encarnados pelo mesmo resultado, mas do outro lado, do lado do Vitória de Guimarães.

O Benfica conquistou a dobradinha, após ter conquistado o campeonato nacional pela 36ª. vez, sagrando-se tetracampeão, frente ao Guimarães também, vencido por 5-0.

O final da festa da Taça deu-se com festejos dos adeptos do Benfica nas bancadas e dos adeptos dentro de campo, isto é, os jogadores vestidos de vermelho. Do outro lado, a coreografia das palmas foi feita entre os adeptos, jogadores e equipa técnica do Vitória de Guimarães em sinal de respeito.

Fica marcada, agora, a final da Supertaça Cândido de Oliveira, no fim de semana de 5 a 6 de Agosto, que opõe as mesmas duas equipas.

Hora para férias no futebol em Portugal. Até à próxima época!

Foto de Capa: SL Benfica