spot_imgspot_img

    SL Benfica 3-1 Gil Vicente FC: Ninguém pára o Ferrari encarnado de Schmidt!

    Benfica

    A CRÓNICA:  MASTERCLASS DE FUTEBOL BONITO NO RELVADO HÚMIDO DA LUZ!

    Na última partida do SL Benfica no campeonato português antes do mundial, Roger Schmidt não quis facilitar e lançou em campo o seu melhor onze. Um jogo que à partida poderia parecer fácil para os encarnados, tornou-se cada vez mais complicado e difícil de resolver para a equipa imbatível do nosso campeonato. O Gil Vicente FC não foi à Luz para ver o Benfica jogar, mas sim para discutir o resultado com as armas que tinha ao seu dispor.

    Com um meio de luxo, ao qual quero deixar os meus sinceros elogios e realçar toda a sua qualidade e irreverência, a equipa do Gil entrou atrevida, pressionante, determinada a levar pontos para Barcelos. Vitor Carvalho e Fujimoto fizeram um jogo simplesmente delicioso, a confirmar o que muito se tem falado acerca de todas as qualidades destes dois jogadores, que encheram o campo com classe, perfume e mestria em todos os lances que disputaram. Se a linha média esteve em plano de destaque, o ataque também esteve em clara evidência, pelos pés do sujeito do costume, que já grande demais para a pequena cidade de Barcelos. Fran Navarro lutou, correu muito, batalhou sozinho por vários lances que pareciam perdidos aos olhos de qualquer outro curioso. A defesa encarnada conseguiu acalmar o ímpeto do atacante espanhol, com Otamendi a ser o farol desta defesa. O capitão encarnado está como o vinho do porto, cada vez melhor, e vai ser o principal esteio da defesa da sua seleção no mundial do Qatar, provavelmente ao lado de Lisandro Martínez.

    O Benfica esteve muito permissivo na primeira parte, diria que algo desconfortável porque foi confrontado com algo que não está habituado e muito menos à vontade, que é a posse de bola, mais precisamente não a ter durante larga parte do jogo. O Gil Vicente fez isto muito bem porque conseguiu circular a bola de forma irrepreensível, muito através da tal qualidade da sua linha média, o que deixou a equipa de Schmidt algo perdida no jogo.

    A partida acabou por ser resolvida em pormenores, numa mudança de atitude por parte de Benfica que não sentiu o impacto do golo sofrido e correu atrás do prejuízo, com destaque para os dois golos de Gonçalo Ramos na partida, que permitiram não só vencer o jogo, que é sempre o mais importante, mas manter a invencibilidade e a distância pontual para os principais concorrentes diretos na corrida pelo título.

    A FIGURA

    Gonçalo Ramos Benfica Gil Vicente
    Fonte: Carlos SIlva/Bola na Rede

    Gonçalo Ramos Pelos dois golos apontados, sou praticamente “forçado” a entregar este prémio ao jovem avançado encarnado, no entanto, senti que Gonçalo esteve emocionalmente afastado do jogo durante todo o tempo em que esteve em campo. Triste, desconcentrado, a frieza na finalização acabou por jogar a seu favor, o que lhe permitiu fazer mais dois golos para a sua conta pessoal e ajudar a equipa na caminhada para a felicidade!

    O FORA DE JOGO

    Murilo – Para mim esta resposta é mais fácil porque senti o extremo da equipa gilista muito preso, amarrado nos seus movimentos, vigiado constantemente quer por Bah, quer por Enzo. Murilo acabou por quase nem aparecer no jogo ofensivo da sua equipa, tendo mais bola na parte final do encontro, mas sem conseguir causar qualquer tipo de impacto.

     

    ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

    Foi com a “carne toda no assador” que Roger Schmidt abordou esta partida, e bem no meu entender. A equipa encarnada não pode nem deve facilitar, e pelo jogo de hoje ficou ainda mais claro que existe qualidade nas outras equipas deste campeonato, e poderíamos estar aqui a analisar outro tipo de resultado. A equipa do Benfica entrou algo apática no jogo, presa nos seus movimentos e a ceder muito a posse de bola ao adversário, mas soube corrigir estas debilidades e abordar o jogo com a avalanche ofensiva que já nos habituou. As substituições que o técnico alemão realizou encaixaram que nem uma luva na gestão da sua equipa, porque todos os jogadores que saíram do banco deram um contributo importante ao jogo, e permitiu gerir o ritmo dos habituais titulares da melhor forma.

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Vlachodimos (7)

    Bah (7)

    António Silva (6)

    Otamendi (8)

    Grimaldo (8)

    Florentino (8)

    Enzo (8)

    Neres (8)

    João Mário (7)

    Rafa (6)

    Gonçalo Ramos (8)

    SUPLENTES UTILIZADOS

    Musa (7)

    Chiquinho (6)

    Diogo Gonçalves (4)

     

    ANÁLISE TÁTICA – GIL VICENTE FC

    Mais uma vez reforço a minha ideia, porque não me canso de elogiar a equipa do Gil Vicente que esteve hoje presente em Lisboa. Com uma mistura de juventude e experiência, os gilistas têm algumas unidades muito interessantes para poderem pisar outros palcos, como Vitor Carvalho, Fujimoto e Fran Navarro. A equipa não se escondeu, antes pelo contrário, jogou olhos nos olhos com os encarnados para tentar roubar pontos, numa das deslocações mais difíceis da temporada, e deixou uma grande imagem na Luz, que promete catapultar os níveis exibicionais da turma de Barcelos para outro patamar.

     

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Kritsyuk (6)

    Carraça (6)

    Manuel Lopes (6)

    Rúben Fernandes (6)

    Marín (6)

    Vitor Carvalho (8)

    Fujimoto (8)

    Matheus Bueno (6)

    Murilo (3)

    Aouacheria (7)

    Fran Navarro (8)

    SUPLENTES UTILIZADOS

    Boselli (5)

    Henrique Gomes (4)

    Aburjania (-)

    Alipour (3)

    André Simões (-)

    - Advertisement -
    spot_img

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Bernardo Santos
    Bernardo Santoshttp://www.bolanarede.pt
    Licenciado em Comunicação Empresarial e Relações Públicas, é um apaixonado por futebol desde tenra idade. O jovem natural de Tomar, mas residente em Lisboa, é um poço de sonhos por realizar, sendo que ser uma voz ativa no mundo do futebol é um deles! Comunicador, simpático, bem humorado e cheio de energia, assim é o Bernardo! Para solidificar os seus conhecimentos no desporto rei, completou os níveis I e II de Scouting no futebol, para além de uma formação de Team Manager. Atualmente, trabalha no departamento de comunicação internacional de uma grande empresa e divide o seu tempo entre as suas paixões e os seus vícios.
    Bola na Rede