A CRÓNICA: INDIVIDUALIDADES PESAM NAS CONTAS

Sentia-se um dia de inverno no Estádio da Luz e o jogo começou, também ele, muito frio e sem história. Foi preciso esperar 20 minutos para uma grande oportunidade de perigo, que pertenceu ao Belenenses SAD. Um livre bem batido por parte de Silvestre Varela que só não entrou por causa de uma grande defesa de Vlachodimos, que voou para a bola e para uma bela fotografia.

Sem grandes oportunidades de perigo de parte a parte, tínhamos uma partida muito jogada a meio campo. Taarabt rasgou a defensiva dos azuis e passou para Cervi. O argentino cruzou para a área onde apareceu Vinicius. À primeira, a barra negou o golo ao brasileiro, mas depois foi à insistência, ganhou a bola e rematou cruzado para o primeiro dos encarnados (1-0). O número 95 iguala Pizzi na lista de melhores marcadores da Liga (12 golos).

A grande defesa de André Moreira, após o remate de Rafa de fora da área, impediu o golo encarnado aos 37 minutos. Mas, no minuto seguinte, já nada podia fazer. Canto de Pizzi do lado esquerdo, passe de cabeça de André Almeida e depois foi Taraabt a aparecer como um goleador, e a disparar uma autêntica bomba para o 2-0. Digamos que foi um penalti em andamento, visto que o marroquino estava na zona dos 11 metros.

Anúncio Publicitário

A segunda parte começa a lume brando, talvez com um Benfica a pensar numa semana complicada com os dois jogos que estão por vir. O grande perigo até começou por ser imposto pela equipa de Petit. Aos 64 minutos, Vlachodimos, quase à queima-roupa, nega o golo ao Belenenses SAD depois de uma grande confusão dentro da área. O perigo ainda continuava iminente mesmo depois da defesa do guarda-redes. O médio Show remata com o pé direito ligeiramente descaído para o lado esquerdo, à entrada da área, mas quem deu show foi também o número 99 do Benfica, que defendeu o lance bastante perigoso.

O Belenenses SAD entrou muito bem nesta segunda parte e conseguiu mesmo reduzir a desvantagem. Aos 70′, depois de uma defesa encarnada completamente a dormir, Varela cruza e um erro de Ferro permite o golo ao Belenenses SAD. Mas apesar de o Benfica ter estado a tremer, consegue ser feliz, novamente, graças a um homem saído do banco. Bem, parece que se está a tornar tendência, não? Pois bem, Chiquinho marcou o 3-1 depois de uma grande combinação entre Rúben Dias, Vinicius e o próprio, alienado também, verdade seja dita, com alguma passividade por parte dos azuis.

Mas as emoções não tinham meio de acabar. Varela, nos últimos minutos, ainda conseguiu espalhar o pânico no corredor do flanco esquerdo. Rafa trava o seu colega em falta e acaba mesmo por cometer uma grande penalidade, assinalada pelo árbitro Nuno Almeida. Aos 87 minutos, Licá traduz o pontapé dos onze metros no golo do 3-2 no Estádio da Luz.

O resultado permaneceu intacto até ao final. O SL Benfica conseguiu levar a vantagem por 3-2, num jogo em que as individualidades das águias pesaram muito. Principalmente, em alturas em que o Belenenses SAD tentava investir e dar uma resposta à desvantagem.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Taarabt – Esteve muito bem esta noite. De salientar também a excelente exibição de Odysseas que, à sua semelhança, foi uma peça fundamental no jogo de hoje. Enquanto Taarabt estava a ser fulcral na construção de jogadas em busca da vitória, o guarda-redes encarnado, por outro lado, estava a ser importantíssimo para segurar a vitória no lado da baliza.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Segunda Parte do SL Benfica – Os encarnados acabaram por ser felizes, é verdade, mas o seu segundo tempo teve muito que se lhe diga. O Belenenses SAD fez uma segunda parte de grande qualidade e apenas as individualidades conseguiram dar resposta ao ímpeto da equipa de Petit, após o intervalo.

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA 

Os comandados de Bruno Lage voltaram a entrar em campo com o típico 4-4-2, em que Vinicius e Rafa voltaram a ser as opções para a frente de ataque a dois. A única troca existente no onze inicial foi mesmo a saída de Gabriel, que ficou no banco, para a entrada do marroquino Adel Taarabt, que fez dupla com Weigl. Talvez uma opção para jogar mais em jogo interior do que com passes mais longos como, normalmente, o brasileiro aposta muito.

A estratégia não mudou muito na segunda parte, mas a atitude da equipa, bastante! Dava ideia que já se geria o jogo conforme as comodidades benfiquistas. Claro está numa semana em que os encarnados vão defrontar o FC Famalicão para a Taça de Portugal e o FC Porto no Estádio do Dragão. Nos momentos finais da partida, numa altura em que o jogo estava mais partido, as individualidades acabaram mesmo por fazer a diferença.

 

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Odysseas Vlachodimos (8)

André Almeida (4)

Rúben Dias (5)

Ferro (4)

Grimaldo (5)

Weigl (6)

Taarabt (9)

Pizzi (5)

Cervi (7)

Rafa (5)

Vinicius (7)

SUBS UTILIZADOS

Chiquinho (8)

Gabriel (6)

Seferovic (-)

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

Petit apostou no mesmo onze inicial que venceu o Portimonense SC na última jornada do campeonato, mas com algumas trocas de posições, como Nuno Coelho, que estava no centro da defesa no jogo anterior, a trocar de posição com Akas Chimas. Esta alteração aconteceu devido à aposta de um 5-4-1 para defender. Um jogo onde se viu, claramente, que estavam a aproveitar o espaço ao longo de todo o campo e a controlar bem o meio campo, fosse a defender ou a atacar.

O 5-4-1 muito elástico a defender e o 3-4-2 do Belenenses SAD, quando tinha a bola, fez com que o Benfica sentisse o atrevimento do seu adversário. Principalmente, nos minutos iniciais da partida. Ainda assim, o peso das qualidades individuais das águias foi sobrepondo-se cada vez mais ao seu adversário.

O Belenenses SAD voltou com a mesma estratégia na segunda parte e, com um Benfica mais apático também, conseguiu causar estragos. Não suficientes para conseguir arrecadar pontos, mas fica a nota para uma excelente segunda parte do Belenenses SAD que lutou, olhos nos olhos, com o atual líder do campeonato.

 

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

André Moreira (7)

Tiago Esgaio (5)

Gonçalo Santos (6)

Akas Chima (5)

Nilton Lopez (6)

André Santos (7)

Nuno Coelho (-)

Show (7)

Silvestre Varela (7)

Mateo Cassiera (6)

Licá (7)

SUBS UTILIZADOS

Matias (5)

Phete (5)

Chano (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

SL Benfica 

Não foi possível fazer perguntas ao treinador do SL Benfica, Bruno Lage. 

Belenenses SAD

BnR: Preparou o jogo para aproveitar, de certa forma, alguma debilidade defensiva do André Almeida que estava em risco para o Clássico e também por ser este o melhor lado de construção da sua equipa?

Petit: Nós jogamos a procurar espaços interiores, mas também as alas. Um miúdo como o Nilton fez um grande jogo. Não quero individualizar. Mas houve aqui jogadores, como o Show, como o Chima, que saem a jogar e que nos dão mais consistência. Mas, acima de tudo, nós tentámos de fora, de dentro, conforme aquilo que trabalhámos para este jogo. Depois temos de analisar os dois golos que não são nada fáceis de marcar, derivado às poucas oportunidades que tivemos.

Rescaldo de opinião de Inês Santos e João Pedro Barbosa

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários