A CRÓNICA: QUE BONITO SE JOGOU HOJE NA LUZ!

A noite estava fria, aqui deste lado da bancada, mas felizmente o jogo aqueceu de forma a fazer os adeptos esquecer o inverno que se fazia sentir no Estádio da Luz. E que jogo! Arrisco-me a dizer que esteve pouco longe do nível de um clássico ou de um dérbi. Duas equipas com um futebol ofensivo e bonito onde o Benfica acabou por ser mais feliz. E um jogo que começou, desde logo, com um ritmo diabólico. Tanto é que logo aos quatro minutos já se tinha alterado o marcador.

O Rio Ave FC foi o primeiro a ser feliz. Depois de uma grande jogada iniciada por Matheus Reis que cedeu, e bem, para Taremi, eis que surge uma falta sobre o jogador e que dá origem a um livre perigoso em horas prematuras na Luz. Lucas Piazón carimbou, em formato de livre, o primeiro da noite.

O SL Benfica respondeu bem ao golo e conseguiu pressionar ainda mais os vila-condenses. O golo acabou por surgir nem 10 minutos depois (aos 13′) no seguimento de uma excelente jogada entre Cervi e Carlos Vinícius, onde Cervi conseguiu de forma exímia restabelecer a igualdade.

Anúncio Publicitário

Estava a ser uma partida irrepreensível, onde ambas as equipas estavam a arriscar e a praticar um futebol de se tirar o chapéu. Falei em chapéu? É que foi isso mesmo que aconteceu aos 29 minutos – um chapéu de Taremi sobre Zlobin, a fazer o 2-1. Taremi, muito interventivo durante toda a partida, aproveitou uma desatenção de Zlobin, que estava fora dos postes. Depois de uma oportunidade dos encarnados entre Taarabt e Chiquinho, surge então o golo da equipa de Carlos Carvalhal que se colocou novamente à frente do marcador.

O Benfica continuou dominador no jogo, mas havia a clara sensação de que faltavam argumentos ofensivos. A entrada de Seferovic veio causar estragos e as águias conseguiram mesmo igualar o marcador. Nota importante para mais uma assistência de Vinícius, que era a segunda na partida e a terceira nos últimos dois jogos. Por esta altura, a 20 minutos do final do duelo, o Rio Ave FC encontrava-se encostado às cordas e acabou mesmo por sofrer o terceiro. Seferovic, que ao que parece saiu do banco inspirado, marcou o terceiro da noite e impôs a vantagem para a sua equipa.

O jogo permaneceu assim: intenso e bonito. Uma excelente partida onde a superioridade do Benfica acabou por se evidenciar numa altura de maior cansaço da equipa do Rio Ave, que fez um jogo de grande esforço e perseverança.

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Cervi – Que grande categoria! É só o que tenho a dizer quanto a este jogo de Cervi. Que entrega! Quer em termos defensivos, quer em termos ofensivos. O número 11 pode não ter um lugar garantido na equipa titular do Benfica, mas a verdade é que a sua entrega esta noite pede por mais oportunidades como a que teve neste jogo.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Taarabt – Num jogo de alto calibre por parte de ambas as equipas é complicado eleger um fora-de-jogo, mas a escolha desta noite é Taraabt. Esteve um pouco perdido no sistema tático da sua equipa. O facto de estar muito subido no terreno acabou por espelhar algumas debilidades no meio-campo do Benfica que, até certa altura, estavam a ser aproveitadas pelo Rio Ave FC com saber, arte e engenho.

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O SL Benfica apresentou-se com o seu típico 4-4-2, mas que acabou por apresentar algumas debilidades para segurar o jogo a meio-campo. O centro do terreno encarnado esteve um pouco apático durante a primeira parte. Taraabt esteve algo perdido dentro de campo e muito subido no mesmo. Com isto, Weigl ficou muito exposto a um excelente trio que deu muitas dores de cabeça à equipa de Bruno Lage. A complementar a exímia exibição de Taremi, um autêntico lutador na frente de ataque, o trio Nuno Santos, Piazón e Diego Lopes fizeram uma grande diferença.

Um Benfica sem espaço para sair a jogar, começou por apostar mais num jogo através do corredor central que, ainda assim, não estava a correr da melhor maneira. As águias jogaram bem a níveis ofensivos, mas as lacunas defensivas estavam a ser demasiado evidentes e acabaram mesmo por se traduzir no resultado de 1-2 para o Rio Ave FC.

Com o desenrolar do jogo, a ideia que se formava é que faltava mais gente na área do Benfica para poder concretizar. E Bruno Lage percebeu isso mesmo. Tanto que aos 61′, Ferro saiu para a entrada de Seferovic. Weigl ocupou, a partir daqui, a posição de falso central. O Benfica passa então a jogar no seu meio-campo com Chiquinho e Taarabt e na frente de ataque: Vinícius e Seferovic. A estratégia cedo surtiu efeito, uma vez que o empate surge aos 61′ e a vantagem ocorre sensivelmente 10 minutos depois.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ivan Zlobin (4)

Grimaldo (4)

Rúben Dias (4)

Franco Cervi (9)

Chiquinho (7)

Pizzi (6)

Weigl (4)

Taarabt (3)

T. Tavares (8)

Vinícius (8)

Ferro (4)

SUBS UTILIZADOS

Seferovic (8)

Samaris (-)

Rafa (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – RIO AVE FC

O Rio Ave FC apresentou-se na Luz completamente desinibido, num 4-4-2 bastante eficaz. A certa altura começou a apostar num jogo mais reativo devido à preponderância ofensiva benfiquista, mas o apoio no corredor de Nuno Santos, Piazón e Diego Lopes ao homem mais avançado – Taremi – foi o trunfo da noite de Carlos Carvalhal. Esteve muito do jogo empurrado no seu meio-campo, mas soube muito bem gerir os momentos de jogo de forma eficaz.

Para além disso, a sua primeira linha defensiva esteve bastante atenta e foi uma autêntica muralha que dificultou bastante as manobras ofensivas encarnadas. Apesar de ter perdido este jogo, o Rio Ave FC deu uma lição a todos os que gostam de bom futebol. Fez frente ao seu adversário (e que adversário, diga-se de passagem) e conseguiu manter a sua estratégia avante até ao momento em que Bruno Lage lança as cartas todas ao colocar Seferovic em campo, optando por uma estratégia com dois homens na área.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Paulo Vítor (6)

Matheus Reis (7)

Filipe Augusto (6)

Borevkovic (8)

Diogo Figueiras (7)

Tarantini (7)

Diego (8)

Nuno Santos (7)

Piazon (7)

Santos (8)

Mehdi (8)

SUBS UTILIZADOS

Grabielzinho (-)

Diego Lopes (-)

Pedro Amaral (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Rio Ave FC

Não foi possível fazer perguntas ao treinador do Rio Ave FC, Carlos Carvalhal. 

SL Benfica 

Não foi possível fazer perguntas ao treinador do SL Benfica, Bruno Lage. 

Foto de Capa: Carlos Silva / Bola na Rede

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários