Anterior1 de 3Próximo

sl benfica cabeçalho 1Depois da derrota por 4-2 contra o Nápoles para a Liga dos Campeões o Benfica volta a casa, ao conforto dos seus adeptos, que decidem encher a catedral para ajudar a equipa depois de um resultado desfavorável. Mais de 58 mil adeptos cantavam o hino enquanto Benfica e Feirense entravam em campo para disputar a 7.ª jornada do campeonato nacional. Começo de jogo apático pelo Benfica, com muitas perdas de bola aproveitadas pelo Feirense, que pareceu encarar logo de abertura o jogo frente a frente. Alguns lances de perigo e um sufocado Ederson davam indicações de que este ia ser um novo jogo difícil para os encarnados. Porém, a reação das águias não tardou. Logo souberam organizar-se e mostrar quem manda na Luz.

Após cinco minutos atribulados veio Lindelof da defesa construir um grande lance de tabelinhas com Gonçalo Guedes, que atrasou para o centro da área, onde estava Mitroglou, que rematou contra a muralha vinda de Santa Maria da Feira, muralha esta que se foi mantendo ao longo do jogo. O guarda-redes da equipa visitante também fez grandes defesas, que impediam o golo ao Benfica. Grimaldo esteve sempre presente nos lances ofensivos dos encarnados, com toques e arrancadas de classe que levavam a equipa na direção da baliza adversária.

A partir dos dez minutos o Benfica pegou nas rédeas e dominou a equipa nortenha. Viram-se vários lances de qualidade nos pés do ponto ofensivo do Benfica, mas nenhum parecia fazer encontrar as redes adversárias. Tanto é que foram os pés de Luís Aurélio, defesa do Feirense, que colocaram a bola pela primeira vez na rede. Auto-golo abria assim as contas do jogo aos 35 minutos. Com este golo, a história da primeira parte está contada. Seguiram-se minutos entediantes, com pouco ritmo e de certa forma confusos, até que as equipas regressaram aos balneários para receberem indicações dos técnicos.

Os onzes mantiveram-se inalterados após o apito de Helder Malheiro soar no Estádio da Luz para assinalar o início da segunda parte, que tinha muito mais para contar. O Feirense não entrou com a mesma força com que tinha iniciado a primeira parte e deixou-se aos pés do Benfica logo desde os 45 minutos. Luisão, de cabeça, e Grimaldo, com um livre, investiram num novo golo para alargar a vantagem, mas sem sucesso. O Benfica parecia ter facilidade em chegar à área adversária, mas dificuldade em finalizar e fazer o golo durante a partida.

Com alguma sorte à mistura, Salvio apontou o segundo dos "encarnados" Fonte: SL Benfica
Com alguma sorte à mistura, Salvio apontou o segundo dos “encarnados”
Fonte: SL Benfica

A equipa de José Mota estava desnorteada na segunda parte e cometia erros infantis como passes fáceis falhados, desorganização defensiva e uma infelicidade a aliviar o lance. A bola pontapeada por Ícaro bateu no pé de Salvio e entrou na baliza de Peçanha. O segundo golo igual ao primeiro: caricato. Contudo, dava uma vantagem de dois golos ao Benfica quando se faziam mostrar 62 minutos no relógio.

Aos 65 minutos Carillo saiu para dar lugar a Franco Cervi, que deu velocidade renovada à conexão defesa-ataque. Um jogador veloz que não se limitava a esperar pela bola. Procurou bola e tentou construir jogadas de perigo, algo que fez com sucesso. Passavam cinco minutos da sua entrada em jogo e o Argentino, de cabeça, fazia o 3-0 após um cruzamento de Nélson Semedo. Cervi ‘disse que sim’ para a bola e fê-la entrar na baliza adversária para ampliar ainda mais a vantagem encarnada. A vitória parecia certa, mas o Feirense ainda se tentou mascarar de Vitória de Guimarães e assustar os milhares de adeptos. Apesar de tudo, com algumas defesas de qualidade feitas por Ederson, que esteve nervoso com a bola nos pés quando esta lhe era passada, o resultado estava salvaguardado.

José Gomes entrou para o lugar de Mitroglou, que se mostrou pouco e apagado neste jogo. A bola enrolava-se nos pés do grego, que pouco conseguiu fazer na segunda parte. A Luz levantou-se e aplaudiu a entrada do jovem. Estavam 84 minutos esgotados quando Zivkovic entrou para o lugar do jovem português Gonçalo Guedes, que fez uma excelente exibição a par de Salvio e Grimaldo. O espanhol fez jogo de alto nível e mesmo passados mais de 80 minutos ainda corria o campo de um lado ao outro a pressionar a bola nos pés de Peçanha.

O jovem espanhol sempre mostrou qualidade a marcar livres e mostrou novamente que ainda tem jeito, apesar de só à terceira tentativa ter conseguido fazer o golo. Falta de Paulo Monteiro à entrada da área deu livre para Grimaldo bater, marcar e festejar o fecho de contas do jogo.

O Benfica, com esta goleada, cimenta a sua posição de líder, e beneficiou do empate do Sporting este sábado, frente ao Guimarães, para ampliar a vantagem para o segundo lugar em três pontos.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários