Anterior1 de 3Próximo

sl benfica cabeçalho 1

A fechar a 25.ª jornada da Liga NOS, o Belenenses deslocou-se ao Estádio da Luz para enfrentar o campeão em título, Sport Lisboa e Benfica. Os tricampeões apresentaram no onze o regresso da dupla Jonas e Mitroglou e André Almeida entrou para o lugar do lesionado de última hora, Nélson Semedo.

Foi precisamente o internacional português que iniciou a goleada encarnada perante a equipa de Belém. Depois de dez minutos iniciais muito fortes por parte do Benfica, que pouco tempo deixou a bola nos pés dos adversários, o esforço foi compensado com uma pequena ajuda de Miguel Rosa. Com um passe para as costas da defensiva azul, Miguel Rosa, que aparentemente tinha o lance controlado, amorteceu a bola com o peito para Cristiano. No entanto, antes de o guarda-redes do Belenenses conseguir chegar à bola, chegou o lateral direito, que inaugurou o marcador. Não festejou o golo frente à antiga equipa, André Almeida, ele que marcou pela primeira vez no campeonato pelo Benfica.

A perder desde os 12 minutos, o Belém tentou recompor-se, mas só dava Benfica na partida. O jogo acalmou o ritmo e só a partir de perto da meia hora de jogo é que os azuis do Restelo conseguiram criar lances ofensivos. Mitroglou acabava por meter a bola na baliza do Belenenses ainda antes do intervalo, mas em fora de jogo, posição onde foi apanhado por várias vezes durante o jogo.

O Benfica foi a vencer por uma bola a zero para o intervalo, resultado derivado de 20 minutos de qualidade e de uma certa eficácia. O Belenenses só conseguiu equilibrar o jogo tardiamente e viu a primeira parte acabar na altura em que mais equilibrou a partida.

Anúncio Publicitário

A segunda parte foi mais mexida. Contou com três golos, tendo todos vindo do lado do Benfica.

Os azuis começaram a pressionar mais o jogo e a ter mais bola e Miguel Rosa fez o primeiro grande lance de perigo ao fazer a bola bater no poste direito de Ederson. No entanto, no lance seguinte, numa bela jogada dos encarnados, Salvio serviu Mitroglou para o regresso aos golos depois de ficar em branco frente ao Feirense e ao Dortmund. Além de ter sido um belo lance, o pontapé de fora de área do grego foi também bonito, colocado para o lado esquerdo da baliza.

Salvio assinou um golo de belo efeito Fonte: FPF
Salvio assinou um golo de belo efeito
Fonte: FPF

O jogo ficou quente com o golo. Troca de remates perigosos entre as duas equipas. Primeiro Maurides e depois Salvio. Porém, ninguém parava o Benfica nos primeiros 20 minutos da segunda parte e o terceiro golo chegava pelos pés de Salvio. Zivkovic correu pela lateral esquerda do campo com a bola e ofereceu o remate à entrada da área ao argentino, que rematou em jeito e fez o 3-0.

A meia hora do fim da partida, o Belenenses estava a perder por uma diferença de três golos e previa-se que o Benfica ficasse com os três pontos em casa. Com o terceiro golo, as águias desceram linhas e preferiram controlar o jogo sem bola, dando a oportunidade aos jogadores visitantes de terem mais posse do que haviam tido durante o jogo e de provocarem mais perigo à equipa de vermelho e branco.

Carrillo entrou para o lugar do sérvio Zivkovic, o peruano que é o suplente mais utilizado do Benfica (12 utilizações). Troca por troca, mantendo a tática na mesma. Embora a vantagem fosse confortável, via-se um Benfica que andava meio apagado a renascer. Continuou sempre à procura do golo e a ser dinâmico ofensivamente.

Jonas pretendia voltar aos golos e esteve perto de o fazer por duas ocasiões. Primeiro, num lance muito rápido dos homens da frente do Benfica, Jonas viu-se frente a frente com o guardião do Restelo e tentou a finta, mal executada, perdendo a oportunidade. Depois, com um canto atrasado de Pizzi, rematou de primeira com força, mas estava lá Cristiano a negar o golo ao brasileiro.

O Belenenses ganhava força e tornava-se mais insistente, mas sempre sem conseguir marcar. Miguel Rosa e Maurides apresentavam lances promissores, sempre negados de uma forma ou de outra.

Ainda houve tempo para André Horta regressar aos relvados, isto quando Rafa já substituíra Salvio no 11 do Benfica. O português entrou aos 85 e aos 86 a equipa do Restelo quase marcava por Bernardo Dias. Valeu o corte de André Almeida, que acabou com o lance no momento em que o compatriota ia encostar.

O pistoleiro Jonas acabava por conseguir o tento que ambicionava, alargando a vantagem para 4-0 aos 90+1. Um ataque muito rápido iniciado por Samaris que meteu para o outro grego em campo, Mitroglou. Quase sem olhar, cruzou para Jonas, que, no centro da área, recebeu e encostou para delírio das bancadas.

Quatro a zero no marcador. Jonas e Mitroglou regressam aos golos, André Almeida marca pela primeira vez para o campeonato pelos encarnados, Salvio é recompensado pela boa exibição e o Benfica recupera a liderança, mantendo-se um ponto à frente do Futebol Clube do Porto e 12 do Sporting. Isto depois de perder pelo mesmo resultado em Signal Iduna Park, frente ao Borussia Dortmund, para a Liga dos Campeões. Novamente a responder bem às derrotas europeias.

As contas estão renhidas no topo da tabela. Parece haver campeonato até ao fim.

Foto de Capa: LPFP

Anterior1 de 3Próximo

Comentários