O campeonato está, mais do que nunca, ao rubro, e não aguentei até Maio. Eis o que o Benfica irá fazer até ao final … ou pelo menos aquilo que, para qualquer benfiquista, é a utopia que nos faz levantar da cama todos os dias.

Acabaram-se as deslocações ao Norte. A partir de agora só jogaremos perto de casa. E no Norte parece estar o calcanhar de Aquiles, vezes a mais. Então são boas notícias. Temos como testes mais exigentes Porto e Sporting. O primeiro em casa, o segundo fora. 7 jornadas. Acabamos o campeonato em casa frente ao Moreirense, que não nos tirará o título, porque já o teremos nessa altura.

Sim, seremos campeões! A vitória frente ao Porto, por margem mínima, com um golo já perto do final vai servir de tónico para nos levantar o ânimo de tal forma que nada nos desviará deste pentacampeonato. Estoril e Tondela serão jogos difíceis mas calmos, a anteceder um derby decisivo. Chegaremos a esse jogo na posição de fechar a Liga NOS, fruto do desaire azul e branco na Madeira na jornada anterior.

Agora vamos tentar fazer chegar isto a Rui Vitória, para que ele leia e abrace esta previsão como se fosse objetivo imposto por ele mesmo
Fonte: SL Benfica

Agora preparem-se para a bomba. Campeões em Alvalade. Deixo no ar… Depois não digam que não avisei.

Agora vamos tentar fazer chegar isto a Rui Vitória, para que ele leia e abrace esta previsão como se fosse objetivo imposto por ele mesmo. Ficarei eternamente grato se o conseguir, porque de outra forma irei passar um mau bocado. Sem pressão Rui, todos sabemos que és treinador para isto!

Ah… e como é esperado, ou melhor, imperativo, a vespa de Eliseu voltará!

Foto de Capa: SL Benfica

Artigo revisto por: Vanda Madeira Pinto

Comentários

Artigo anteriorGirona FC: Um estreante à procura de batismo europeu
Próximo artigoOs 5 jogos mais difíceis da época
O Alexandro acredita piamente que se existe um Deus a melhor obra dele é, sem dúvida, o futebol. Saído de uma família benfiquista ferrenha, a escolha acabou por ser óbvia. Divide a paixão que têm pelos encarnados, com a paixão e o sonho de ver o Académico de Viseu de volta à primeira. A escrita é algo que sempre esteve presente no seu percurso, sendo que em todos os seus textos tenta incluir o humor que lhe é tão característico. Nascido e criado em Viseu, decidiu há 5 anos rumar a Lisboa para poder estar mais próximo da Luz, ou como os pais lhe chamam, estudar.                                                                                                                                                 O Francisco não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.