Fevereiro tem sido um mês avassalador para o Sport Lisboa e Benfica. Até ao momento, em quatro partidas disputadas, leva uma vitória, um empate e duas derrotas. Um registo muito mau para uma equipa que se assume candidata ao título nacional e que aspira a muito mais.

Neste momento, ao passar da 21ª jornada, o SL Benfica poderia estar confortavelmente no cimo da tabela classificativa, com mais dez pontos que o segundo classificado, mas não. Está apenas com um ponto de avanço do seu rival FC Porto e tudo por culpa própria.

As más exibições da equipa, no seu todo, são a principal razão para o atual momento de forma dos encarnados, mas há mais alguns fatores que influenciam este descalabro.

Gabriel vinha a ser um dos pilares do meio campo do glorioso nesta temporada e a sua lesão revelou a sua importância no miolo do Benfica. A verdade é que a sua lesão veio na pior altura possível. Facto curioso: sempre que o Benfica perdeu pontos no campeonato, Gabriel esteve ausente da convocatória. Isto diz muito da preponderância que o médio tem na formação de Bruno Lage.

Anúncio Publicitário

É urgente substituir este jogador, porque está claro que a equipa baixou imenso o seu rendimento e sem data prevista para voltar aos relvados, torna-se imperial arranjar uma alternativa viável.

Gabriel estava a ser uma das principais referências dos encarnados e estará fora dos relvados por tempo indefinido devido a lesão ocular.
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Outro fator, este também bastante evidente, é o mau rendimento de Ferro. O jovem central tem comprometido muito na linha defensiva das águias e tem sido o elo mais fraco das águias.

A sua disponibilidade física é uma das razões para esta baixa de rendimento, o que tem influenciado diretamente as suas exibições, sendo que muitos dos golos sofridos pelos encarnados têm surgido pela zona defendida por Francisco Ferreira. Numa situação normal, Ferro já estaria no banco de suplentes, mas a falta de opções para o eixo defensivo concedem-lhe um estatuto de quase intocável.

Está bem evidente que no mercado de janeiro o Benfica deveria ter contratado um substituto capaz de fazer concorrência para o centro da defesa. Com a lesão de Jardel, Samaris seria alternativa, pois não faz sentido continuar a jogar com o Ferro, se o jogador não está bem.

Ter um plantel curto até poderia fazer sentido, mas, neste momento, o Sport Lisboa e Benfica está em três frentes: Primeira Liga, Liga Europa e Taça de Portugal. Ora, tendo em conta que um clube como o Benfica tem o objetivo de estar e vencer em tudo, também tem de ter profundidade no plantel para conseguir disputar todas estas competições.

Jogadores como Pizzi e Grimaldo têm sido titulares indiscutíveis e raramente são poupados por Bruno Lage. Ambos os jogadores têm apresentado uma quebra no seu rendimento e julgo ser por terem demasiados minutos nas pernas.

Nuno Tavares podia ser uma opção para render Grimaldo naqueles jogos de menor intensidade, mas, por qualquer motivo, Lage aposta sempre no mesmo. Também Jota, Florentino e até Samaris podiam ser boas escolhas para rodar a equipa nesta fase da temporada. Esperemos só que não comecem as poupanças nos jogos da Liga Europa.

Bruno Lage enfrenta o maior desafio desde que está no comando técnico do glorioso: recuperar uma equipa que está em clara quebra de rendimento e que tem várias frentes por disputar.

Veremos como é que o técnico dos encarnados reagirá a este problema que está a afetar as exibições do Benfica. Os problemas, ou parte deles, já foram identificados. Agora, Lage, é trabalhar para os corrigir.

Foto de capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Comentários