Terceiro Anel

No dia 20 de Maio de 1983 nascia o homem que iria fazer história, muitos anos depois, no Sport Lisboa e Benfica: Óscar Cardozo, um bombardeiro puro que marca golos atrás de golos, sendo desde 2010 o melhor marcador estrangeiro da fantástica história do maior clube português.

Há cerca de 6 anos e meio em Portugal, este internacional paraguaio tem provado, semana após semana, que é um jogador de alto nível, possuindo um dos pés esquerdos mais letais do mundo do futebol. Mesmo parecendo desengonçado e pouco dado ao esforço (e aqui me penitencio eu, por várias vezes te ter vaiado na Luz ou via tv!), Óscar Cardozo é, a meu ver, um profissional de excelência e que muito tem dado ao Benfica.

Sim, o homem teve um desaguisado tremendo com o Jorge Jesus, no Jamor, em Maio último; sim, o homem teve um grave episódio com o Pedro Proença, na Choupana, em Fevereiro último; sim, o homem, em Setembro de 2010, após apontar um golo ao Hapoel, mandou calar o público presente na catedral (essa foi a que me doeu mais, Takuara!); mas, exceptuando isso…há tanta coisa boa!

Cardozo a comemorar um golo por si apontado (tão normal) / Fonte: sapo.pt
Cardozo a comemorar um golo por si apontado (tão normal)
Fonte: SAPO

Como é que eu me poderia esquecer dos teus golos, caro Cardozo? Aquele golo que apontaste ao Celtic, nos minutos finais, em 2007; aquele “bis” em Donetsk, no mesmo ano, debaixo de um clima glaciar; aquele golo ao cair do pano em Nuremberga, que nos valeu o apuramento na Taça Uefa; a tua fantástica temporada, em 2009/2010, na qual te sagraste melhor marcador do campeonato; o teu hat-trick no 8-1 ao Vitória de Setúbal; os teus dois golos frente ao Liverpool, na Luz, em 2010; os teus dois tentos no 2-1 ao Rio Ave, quando nos sagrámos campeões!

Anúncio Publicitário

E reparem bem como ainda vou no longínquo ano de 2010! É que, de lá para cá, os golos continuaram a aparecer, o homem continuou a festejar, o homem voltou a ser o melhor marcador de mais um campeonato, o homem provocou-me enormes sorrisos em milhentas ocasiões. E depois há outra coisa que este ser humano tem que me encanta: marca golos ao Sporting com uma frequência louca! E os nossos rivais da 2ª Circular puderam sentir isso (e de que maneira!) no passado sábado.

Portanto, e depois de um artigo no qual te elogio até ao tutano, acho que escuso de dizer que te admiro. E sim, sei que muito provavelmente te continuarei a enviar um ou outro comentário menos agradável, quando topar que não estás para te mexer muito no relvado. Porém, um homem deve sempre saber agradecer, e por isso te digo: obrigado, muito obrigado por teres vindo para o Benfica em 2007, e por ainda não teres saído. Não saias deste clube, por favor.

Vá, e agora lê isto, e ganha ainda mais motivação para aquilo que aí vem, nesta difícil temporada.