Na última quarta-feira, dia 12 de dezembro, jogou-se a última partida dos sub-19 do Benfica a contar para a fase de grupos da UEFA Youth League. Quando as Águias ainda precisavam de triunfar sobre o AEK para passarem à próxima fase, os rapazes vinham com vontade e necessidade de vencer o encontro, e assim o fizeram. Ao baterem o AEK por três bolas a zero, o Benfica consegue subir para o segundo lugar do grupo e assim ter de jogar um play-off, no qual irão defrontar os franceses do Montpellier.

Tal como o grupo da equipa sénior na UEFA Champions League, a equipa sub-19 do Benfica integrou o grupo constituído pelo Ajax da Holanda, o Bayern de Munique, e o AEK da Grécia. Logo neste sorteio o Benfica sabia que ia defrontar uma das melhores academias do mundo, na qual já se formaram jogadores de classe mundial. A academia do Ajax é temida pois produz jogadores de qualidade, que mais tarde passam a jogar nas melhores ligas de futebol. Apesar disto, o Benfica consegue vencer qualquer equipa de formação de jovens, pois também temos das melhores academias (e mais tecnologicamente evoluídas) a nível mundial.

Os sub-19 do Benfica não tiveram uma prestação boa na época passada (quase como um espelho da prestação da equipa sénior na Liga dos Campeões), e não conseguiram sequer passar da fase de grupos. Precisavam de melhorar e chegar mais longe este ano, e já superaram essa expectativa.

“Jota” Filipe foi dos jogadores mais influentes nos primeiros dois jogos dos sub-19 do Benfica na Youth League deste ano, ao marcar dois golos no triunfo frente ao Bayern e fazer uma assistência frente ao AEK
Fonte: SL Benfica

Na primeira partida o Benfica venceu os sub-19 do Bayern de Munique por três a zero no Caixa Futebol Campus. Um resultado satisfatório, e uma entrada com o pé direito na Youth League. A seguir, viajaram à Grécia para defrontar os sub-19 do AEK, e também triunfaram, desta vez por três a um. A desilusão veio nos dois jogos seguintes, ambos frente aos sub-19 do Ajax. A primeira partida foi na Holanda, e perderam por três a zero, já na segunda mão empataram a três golos. A partir daqui o trabalho de passar em primeiro lugar ficou mais difícil, e posteriormente ainda mais dado que empatámos na Alemanha por dois golos. Nesta última partida, o Benfica tinha de vencer para passar em segundo lugar caso o Bayern triunfasse sobre o Ajax (algo que se veio a confirmar).

O treinador dos sub-19 ambicionava uma passagem direta para os oitavos de final, e este segundo lugar na fase de grupos não foi o suficiente para agradar. A equipa revelou alguma falta de eficácia e consistência, mas é preciso ter em conta que foram dois jogos seguidos frente aos sub-19 do Ajax. Nada é desculpa para más exibições senão erros da equipa ou do treinador, mas é relevante mencionar que o Ajax saiu da fase de grupos com 23 golos marcados (melhor ataque até agora desta edição da Youth League) e apenas oito sofridos. Já as Águias marcaram 14 golos e sofreram nove.

A nossa academia tem o dever de fazer o melhor possível nesta competição, porque não só se promove a marca Benfica, como também a formação do clube e do país. O Benfica já esteve envolvido em duas finais da UEFA Youth League (na primeira edição em 2013/2014, e na temporada de 2016/2017), e não venceu nenhuma. Já estava na hora do Benfica mostrar que realmente está a “formar para ganhar”.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários