O Benfica conta, neste momento, com quatro defesas centrais no plantel principal: Jardel, Rúben Dias, Conti e Lema. Sendo que destes quatro, apenas dois têm a unanimidade dos adeptos quanto à sua qualidade para entrar em campo para uma posição fundamental na defesa encarnada.

Acontece que a defesa tem sido um dos pontos mais criticados esta temporada, sendo claro que havia uma desorganização nos movimentos defensivos do Benfica, já que tem o maior número de golos sofridos, no campeonato, dos últimos dez anos: são 17 tentos que a defesa dos encarnados permitiu que entrassem na sua baliza.

Em várias ocasiões se notou a fragilidade defensiva da equipa, se bem que agora, nas mãos de Bruno Lage, tudo se parece estar a endireitar lentamente, levando a uma defesa mais coesa, organizada e segura.

No entanto, acontece que no plantel, só constam dois jogadores, Jardel e Rúben Dias, os habituais titulares, que podem cumprir com a maior qualidade e segurança a função de defesa central. Conti e Lema mostraram-se autênticos erros de casting, não havendo consenso entre a massa adepta quanto a estes dois atletas.

Conti não consegue convencer a maioria dos adeptos encarnados
Fonte: SL Benfica

Eu sou da opinião de que Conti e Lema não são bons o suficiente para o Benfica, um facto que cria um problema. Na ocasião de um dos titulares, Rúben Dias ou Jardel, – ou até mesmo os dois em simultâneo – ficarem suspensos por um ou mais jogos, seja por lesão ou suspensão por amarelos ou expulsões, faz com que ou Conti ou Lema tenham de entrar para o onze inicial. Isto é algo que tem de preocupar a estrutura do Benfica, pensando seriamente em aproveitar estes últimos dias de mercado de inverno para adquirir uma melhor opção a estes dois atletas.

Se Jardel e Rúben Dias que têm provas dadas de qualidade têm tido a pior média de golos sofridos ao fim de 18 jornadas, ao colocar um jogador de menor qualidade em jogo poderá criar um buraco na defesa e desequilibrar um setor de elevada importância para a conquista de pontos em quaisquer ocasiões.

Na formação existem duas opções pertinentes: Kalaica e Francisco Ferreira (ou “Ferro”) – este último já analisado na rubrica Estrelas da Formação. Ambos são alternativas interessantes para uma subida à equipa principal, mas seria necessária uma maior análise para confirmar que ambos os jovens estão prontos para enfrentar uma maior competitividade. Kalaica já chegou a jogar – e marcar – pela equipa principal, na última jornada da época 2016/17, na Luz frente ao Boavista, marcando o empate ao cair do pano num jogo em que participou do início ao fim.

Seja qual for a opção, é certo que Conti e Lema não estão no patamar exigido na defesa do Benfica. No caso de acontecer um azar a qualquer um dos centrais habituais, nenhum dos dois parece estar ao nível de substituir os titulares. A janela de transferências está perto de fechar, a dia 31 de janeiro, por isso se for para ir buscar alguém que não esteja na formação, o melhor é apressar o processo.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários