Haris Seferovic sofreu uma rotura do solear da perna esquerda enquanto estava no período de aquecimento do jogo entre Suíça e Gibraltar, partida que os helvéticos acabaram por vencer por seis bolas a zero.

O avançado enfrenta, agora, um possível período de paragem de três semanas, podendo até só regressar às competições oficiais em 2020.

De resto, a presente temporada não tem sido fácil para o suíço. Seferovic tem sido um dos maiores alvos de críticas por parte dos adeptos encarnados, devido às exibições pouco conseguidas que tem realizado. O helvético tarda em reencontrar o caminho das boas exibições que demonstrou na época transata, tendo perdido preponderância no jogo das “águias”.

Uma época à parte

A época 2018/19 foi uma época especial para Haris Seferovic: nunca o internacional pela seleção principal da Suíça tinha marcado tantos golos numa só época. Foram 27 tentos no total de todas as competições (Liga dos Campeões – 1; Liga Europa – 1; Taça da Liga – 2; Liga NOS – 23), contando ainda com 6 assistências para golo, tornando-o numa das peças-chave da equipa comandada por Bruno Lage.

No entanto, as boas exibições e os golos que fizeram de Seferovic o Bota de Prata da Primeira Liga 2018/19 tardam em aparecer esta época, levando os adeptos encarnados a questionar se o faro para golo que o internacional helvético demonstrou na época transata tenha sido o caso de uma época à parte.

O internacional helvético soma apenas 2 golos em 823 minutos na presente edição da Primeira Liga
Fonte: SL Benfica

Regresso aos velhos hábitos

De resto, as últimas exibições ao serviço do clube da Luz não surpreendem quem conhece Haris Seferovic. Basta verificar os dados da sua carreira para chegarmos à conclusão de que o suíço não é um goleador nato, tal como era Jonas ou Mitroglou. Seferovic é antes o designado “primeiro defesa”, que desgasta constantemente os oponentes, quer pela pressão que exerce sem bola, quer pelos seus movimentos de rutura constantes entre os centrais e os laterais adversários. Também a sua capacidade técnica deixa a desejar, pelo que muitos analistas de futebol atribuem o seu sucesso da época passada a João Félix, que conseguia camuflar a dificuldade do suíço em jogar entrelinhas adversárias.

Haris Seferovic é, portanto, uma das incógnitas deste Benfica 2019/20, pois já demonstrou uma incrível capacidade para marcar golos, como também demonstrou uma enorme apetência para os falhar. É, por isso, imperativo que Bruno Lage consiga descobrir uma cura para esta bipolaridade helvética que parece assolar tanto o suíço, como os adeptos benfiquistas.

Foto de capa: SL Benfica

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários