cabeçalho benfica

Uma vitória folgada que se tornou fácil com golos nos momentos chave. O Benfica, sem fazer uma exibição de encher o olho, sai de Setúbal com os 3 pontos e o Vitória com a mala cheia.

A vitória encarnada começou-se a desenhar através do golo de Toto Salvio. Golo, não: golaço. Quando tudo dava a entender que o Benfica caminhava a passos largos para uma vitória tranquila, eis que o Vitória revela que tem uma palavra a dizer. Não se encolheu, tentou por todos os meios visar a baliza de Artur e conseguiu, até, introduzir a bola na baliza do contestado guarda-redes das águias, num lance mal ajuizado pela equipa de arbitragem. Azar dos sadinos, o jogo prosseguiu. E acabaram duplamente penalizados: com o segundo golo do Benfica, equipa contra quem estavam, de facto, a jogar, por intermédio de Talisca, homem do jogo, que fez o seu primeiro golo no jogo num lance algo fortuito. Cruzamento demasiado largo de Gaitán, mal aliviado pela defesa da equipa da casa, com a bola a sobrar para o brasileiro, que, sem cerimónias, colocou a bola rentinha ao poste.

A partir do segundo golo só deu Benfica. Podia ser mais simpático e afirmar que a posse de bola até foi repartida, que os sadinos ainda tentaram… balelas. Tentar, tentaram, mas nunca com  perigo digno de registo. Antes do término da primeira parte ainda houve tempo para mais um golo de Talisca, desta vez de livre directo, num remate colocadíssimo ao lado do guarda-redes. Intervalo, palestra de JJ bem mais facilitada pela vantagem folgada, talvez um tanto ou quanto injusta para os sadinos, mas o futebol nem sempre é justo.

Talisca foi o homem do jogo com 3 golos Fonte:  ZeroZero
Talisca foi o homem do jogo com 3 golos
Fonte: ZeroZero

No retomar das hostilidades a equipa da casa ainda tentou remar contra a maré mas de uma das incursões de Gaitán nasceu o quarto golo do Benfica e o terceiro de Talisca. O argentino, que come cereais com fibra de génio ao pequeno-almoço, fez uma jogada que só ele sabe fazer, ao nível de algumas do ex-colega Pablo Aimar: avançou pelo meio, tocou na esquerda e abriu as pernas para deixar passar para o colega que vinha em corrida; Salvio permitiu uma defesa incompleta ao Raeder e Talisca consumou o hat-trick. Perfeito, perfeito só se tivesse sido Talisca a finalizar de primeira a ideia genial do novo número 10 do maior clube do mundo.

Nessa altura o Setúbal já só queria que o jogo acabasse, mas Ola John ainda ia ter tempo para dizer um olá (que piada tão bem conseguida, meu Deus!) e fazer o gosto ao pé. Podia ainda ter sido marcado um pénalti a favor do Vitória, mas com o resultado em 5-0 não acredito que seja por aí que os anti-Benfica tenham razões de queixa. Uma exibição sólida de Samaris, uma exibição tremenda de Gaitán e uma exibição abismal de Talisca, que marcou os seus 1.º, 2.º e 3.º golos oficiais com a camisola encarnada. Esperemos que venham mais manitas.

A Figura:

Talisca – As razões são óbvias.

O Fora-de-Jogo:

Lukas Raeder – O guarda-redes sadino teve culpas em alguns golos, nomeadamente no 2.º e 3.º de Talisca.

Comentários