cabeçalho benfica

Com as claques prontas a gritar, o Benfica atravessou o Tejo para vir ao Bonfim defrontar o Vitória de Setúbal, clube invicto na sua casa para jogos do campeonato. O Benfica podia ser o primeiro clube a vencer em Setúbal, a quebrar o recorde de invencibilidade caseira e a melhorar o seu quociente de resultados fora de casa. O jogo prometia, com as claques a fazerem a festa e a puxarem pelas equipas. De início um mau presságio: um gato preto atravessa o campo; e deixa todos de olhos fora na bola.

O mau presságio confirmou-se, mas para os adeptos. Um jogo pobre, que foi crescendo com o cronómetro do tempo. O Benfica instalou-se no meio-campo do Vitória e fez lá o seu jogo. O Vitória deixou Suk na frente e apostou nas transições rápidas de bola. Incrível como o jogo da equipa encarnada passa todo por Renato Sanches, o menino de ouro da Luz é o patrão do meio-campo, revelando maturidade e muita cultura táctica.

O Vitória de Setúbal criou perigo por diversas vezes, mas Júlio César e a restante defesa encarnada estiveram à altura. Já o Benfica foi criando várias oportunidades até chegar ao golo. Um golo um pouco confuso de Pizzi aos 35 minutos a abrir o marcador. Logo 4 minutos passados, Jonas faz o segundo para a equipa da Luz. De cabeça e num erro de marcação, Jonas de cabeça fez o seu 11º golo no campeonato.

O jogo prosseguiu com muitas faltas e muitos gritos vindos das bancadas. A claque sadina implacável com o árbitro da partida.  A segunda parte começa com um Setúbal atrevido, mas longe de estar perto de concretizar. O Benfica tentou responder, mas Jonas na cara do golo falhou, mas o Benfica não perdeu a motivação e logo aos 54 minutos Mitroglou marca. Mais um para o grego que marcou na última partida frente ao Atlético de Madrid e teve um papel determinante nas jogadas ofensivas em Braga. O Benfica mandava no jogo quando numa transição de ataque o Setúbal aproveitou uma bola perdida de Júlio César e Vasco Costa não facilitou e fez o golo.

Jonas apontou o 11.º golo no campeonato; Fonte: Facebook de Jonas Gonçalves
Jonas apontou o 11.º golo no campeonato
Fonte: Facebook de Jonas Gonçalves

O golo parece ter sido uma pedra no caminho e o Benfica, a meio da segunda parte Rui Vitória decidiu dar a primeira oportunidade da época a Djurirc ao lança-lo para o lugar de Jonas. Sem Jonas o jogo parece ter perdido ritmo. Pizzi e Sanches levaram a bola para a frente mas faltou sangue frio no último terço. O Setúbal em sentido contrário continuou a crescer e ameaçou por várias vezes com perigo. Mas este parecia ser um jogo de 8 a 80. E quando o Setúbal estava Mitroglou conseguiu mais um golo caricato com a bola a bater no guarda redes e no poste. Um golo que ia sendo desperdiçado pela gentileza de Djuricic em querer oferecer o golo. Ali não se perdoa. Enquanto o jogo esperava pelo fim, Suk aproveitou uma bola perdida num canto e de fora de área marca golo. A bola ainda bateu num colega de equipa e nas bancadas pediu-se fora-de-jogo. Um jogo que acaba com mais golos do que o inicio alguma vez faria prever.

O jogo ficou ali feito. O Setúbal nunca apresentou grandes argumentos para combater o Benfica e o Benfica sem fazer um jogo por aí em diante consegue um bom resultado. Ainda deu tempo para ver alguns apontamentos interessantes de Djuricic. Pizzi apresentou-se também a muito melhor nível, com mais confiança , acima de tudo. Já o menino de ouro da luz mandou no meio-campo, mas falhou mais passes do que nos tem acostumado. Dias não são dias. O Benfica consegue assim a sua 5ª vitória consecutiva no campeonato, a melhor série de Rui Vitória no Benfica, e destorna a invencibilidade caseira do Vitória de Setúbal.

A Figura:

Pizzi – A corrente ofensiva passou toda por ele. A defender também se apresentou muito bem. Parece estar a recuperar a confiança naquela que sempre foi a sua posição.

O Fora-de-Jogo:

Defesa do Vitória de Setúbal – Uma defesa muito permeável com um Ruben Semedo distante do jogo com o Belenenses. Um segundo poste muito à mercê do ataque encarnado.

Comentários