cabeçalho benfica

Com a possibilidade de reduzir a diferença pontual perante os seus mais diretos rivais, o Sport Lisboa e Benfica deslocou-se ao reduto do Vitória de Guimarães para realizar o encontro da jornada quinze do campeonato português. A equipa vermelha e branca até foi a equipa que entrou melhor no relvado do D. Afonso Henriques, mas esse ímpeto rapidamente se perdeu. Nos primeiros 45 minutos as oportunidades de golo foram raras, falhando o Benfica bastantes passes que originaram alguns calafrios na defensiva encarnada.

Com um meio-campo a trabalhar mal, o Benfica raramente criou perigo. Não se viu um elo de ligação entre o meio campo e a frente de ataque na primeira parte, coisa que facilitou a vida à equipa vitoriana, que esperava tranquilamente o erro dos encarnados para sair a jogar no contra-ataque. Mesmo assim, a melhor oportunidade de golo durante os primeiros 45 minutos surgiu dos pés de Jonas, que obrigou o guarda-redes vitoriano a uma defesa apertada.

O início da segunda parte ficou marcado por uma entrada fraquíssima do Benfica. Durante os primeiros 30 minutos da segunda parte o Vitória de Guimarães foi superior. Neste período pôde ver-se um Benfica a falhar muitos passes e a jogar muito no sector mais recuado. O minuto mágico deste jogo paupérrimo surgiu ao minuto 75. A magia saiu do pé do menino de ouro: Renato Sanches marcou um grande golo, numa jogada de insistência. Depois do golo da turma encarnada, o jogo melhorou para os pupilos de Rui Vitória, que puderam beneficiar dos espaços dados pela equipa vitoriana, que corria atrás do prejuízo. Mesmo com uma fraca exibição da equipa encarnada, ficam os três pontos conquistados num estádio muito difícil.

Renato Sanches salvou o Benfica em Guimarães
Fonte: Facebook Farmácia Franco 

Apesar de o Benfica ter melhorado o seu estilo de jogo nos últimos tempos, hoje pudemos observar um bicampeão sem carisma, sem vontade de ganhar e acima de tudo sem atitude. Continuou sem perceber o porquê da aposta de Pizzi para extremo quando temos um Carcela no banco de suplentes, jogador que já mostrou que tem qualidade e que deve ser aposta. Apesar de hoje Samaris não poder jogar devido a castigo, ficou mais uma vez provado que Fejsa não tem “pedalada” para jogar jogos a “doer”, sendo apenas um jogador para fazer 30 minutos.

Anúncio Publicitário

Com este resultado resta-nos a nós, benfiquistas, ficar sentados no nosso sofá e observar a aproximação a uma ou às duas equipas que neste momento se encontram à nossa frente.

A Figura:

Renato Sanches: Foi de longe o melhor jogador em campo. A forma como luta do início ao fim do jogo é de grande jogador. Hoje, carregou a equipa às costas e a atitude que demonstrou ao longo dos 90 minutos foi premiada com um grande golo.

O Fora-de-Jogo:

Raul Jiménez: realizou um jogo fraquíssimo no D. Afonso Henriques. O jogador mexicano passou completamente ao lado do jogo. Isso pode ver-se na quantidade de passes que falhou e na quantidade de “divididas” que perdeu. Até ao momento não dá mostras de que os nove milhões investidos tenham sido um bom negócio; muito pelo contrário.