Apontado pelos analistas como uma das grandes promessas do futebol sérvio, Andrija Zivkovic tem vindo a perder, gradualmente, espaço no clube da Luz.

De vento em popa

Chegou ao Benfica no verão de 2016, proveniente do Partizan, após um longo “braço de ferro” entre os encarnados e os crno-beli. Zivkovic era visto como um jogador importante para o plano desportivo das “águias”, tendo a sua contratação sido definida como prioritária pelo treinador, Rui Vitória. O sérvio protagonizou uma boa primeira época em Portugal, somando 1583 minutos (24 jogos) em todas as competições, aos quais juntou um golo e 11 assistências. A época seguinte seria de afirmação.

Zivkovic foi um pedido expresso de Rui Vitória
Fonte: SL Benfica

A afirmação

Foi no dia 21 de janeiro de 2018 que Filip Krovinovic, à data o jogador mais influente das “águias”, sofreu uma lesão grave, colocando-o no boletim clínico dos encarnados até ao fim da temporada. Com o mercado de inverno prestes a encerrar e sem soluções óbvias para substituir o centrocampista, o pânico começava a instalar-se entre os adeptos benfiquistas.

Depois de uma primeira fase da temporada difícil para o emblema da Luz, com a eliminação da fase de grupos da Champions League após somar zero pontos e alguma inconsistência no que à qualidade de futebol praticado diz respeito, o Benfica ganhava agora um novo fôlego com a entrada de Zivkovic no onze titular.

Dotado de um fino recorte técnico e de uma excelente capacidade de condução de bola, Zivkovic fez com que as bancadas da Luz se esquecessem rapidamente do seu antecessor. O sérvio imprimia uma excelente capacidade de pressão sem bola, permitindo à equipa jogar com um bloco alto e recuperar o esférico mais perto do último terço do terreno. Aliado à intensidade que colocava em campo, Andrija também demonstrava uma excelente qualidade de passe e visão de jogo, desmarcando os colegas com passes milimétricos.

No final da época, Zivkovic já era visto por muitos como um titular indiscutível. Tinha somado 2063 minutos (30 jogos), marcando três golos e assistindo outros seis. O sérvio aparentava estar de pedra e cal no clube da Luz.

O médio sérvio foi apontado ao Olympiacos no último mercado de verão
Fonte: SL Benfica

O apagão

No entanto, as boas exibições que tinha protagonizado na época passada, por lá tinham ficado. Zivkovic tinha agora um papel secundário no plantel encarnado e a chegada de jogadores como Gedson e Gabriel vieram retirar espaço ao astro sérvio. A entrada de Bruno Lage no comando técnico das “Águias” também não veio ajudar Zivkovic, visto que as características do sérvio não encaixam no modelo de jogo idealizado pelo técnico português.

Andrija Zivkovic ainda não somou nenhum minuto em jogos oficiais pelo Benfica na presente temporada, sendo já uma ausência regular dos convocados da equipa. Uma situação insólita, tendo em conta o valor do jogador e o que este já demonstrou poder dar à equipa num passado recente.

De titular indiscutível a reserva, o caso de Zivkovic é um exemplo claro do quão efémero pode ser o sucesso no mundo do futebol.

Foto de capa: SL Benfica

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários