Anúncio Publicitário

A CRÓNICA: TRÊS GOLOS DE BOLA PARADA, VANTAGEM PARA O CF ESTRELA

Uma tarde solarenga, um estádio histórico do nosso país e dois grandes clubes do futebol português que lutam para voltar a lugares onde já estiveram. Não fosse a falta de adeptos no estádio e, certamente, estariam reunidos todos os ingredientes para uma grande tarde de futebol.

Anúncio Publicitário

As duas formações terminaram em primeiro lugar na respetiva série da primeira fase do Campeonato de Portugal e agora, na fase de subida da zona sul, lutam por um lugar na Segunda Liga, já com o acesso garantido à nova Liga 3. Com o CF Estrela a ocupar a primeira posição do grupo e a UD Leiria a terceira, separados por um ponto, ambas as equipas caminham a passos largos para os últimos e decisivos jogos.

Luís Máximo deu o apito inicial, o jogo começou e aconteceu o esperado, ou seja, assistiu-se a um início muito equilibrado. Ambas as formações queriam proporcionar um bom espetáculo e mostrar que tinham argumentos para estar na Segunda Liga.

Após uma boa iniciativa por parte de Diogo Leitão, foi aos 10 minutos que ocorreu a primeira grande situação de golo e foi por parte dos visitantes. Canto batido e Leandro Antunes apareceu ao primeiro poste e, um ligeiro desvio, fez com que a bola passasse a rasar o segundo poste. O Estrela não se acanhou e, logo a seguir, uma boa desmarcação dentro de área de Paollo Madeira, permitiu que o avançado tricolor atirasse para uma grande estirada de Fábio Ferreira. Primeiros 10/15 minutos de alta qualidade no estádio José Gomes.

A formação da casa começava a ter mais bola e o duelo entre Paollo Madeira e Fábio Ferreira ficava cada vez mais interessante, quando, de fora de área, o avançado voltou a atirar para nova grande intervenção do guardião de Leiria. Perto dos 25 minutos, o Estrela estava cada vez mais por cima e, numa grande jogada, com cabeça, tronco e membros, Fábio Ferreira voltou a ser decisivo ao defender e manter o nulo no jogo.

Parece que estávamos a ver a repetição, mas não. Noutra grande jogada do emblema da Amadora, Paollo Madeira recebeu no coração da área, virou e atirou para a defesa da tarde de Fábio Ferreira.

A chegar aos 35 minutos de jogo, a União de Leiria meteu água na fervura, teve mais posse de bola e acabou por ter uma grande ocasião de golo. Leandro Antunes, após um grande trabalho individual dentro de área, atirou para boa intervenção do guardião da equipa da casa. O intervalo aproximava-se e o Leiria estava melhor. Novo pontapé de canto e, novamente, de bola parada, o Leiria cria perigo, com um cabeceamento ao poste.

As equipas iam para o (merecido) descanso, após uma primeira parte muito equilibrada, que podia ter dado golos para qualquer lado, apesar da ligeira superioridade do Estrela, sobretudo entre o segundo quarto de hora do jogo.

A segunda parte começou com um ritmo ligeiramente mais baixo. No entanto, foi com um ritmo mais baixo que o marcador foi inaugurado. Pontapé de canto para os da casa, batido por Sérgio Conceição, e, ao primeiro poste, apareceu Diogo Leitão a desviar para o golo. A bola ainda foi ao poste e bateu no guarda-redes, mas só parou no fundo das redes. Estava inaugurado o marcador para o Estrela da Amadora.

Não durou muito para dilatar a vantagem. Nova bola parada cobrada por Sérgio Conceição e apareceu novamente alguém ao primeiro poste, desta vez Hélder Laton a desviar com o pé direito e a fazer o dois a zero.

Depois do dois zero, o jogo ainda baixou mais de ritmo. A União de Leiria teve mais bola, no entanto era uma posse inofensiva, sem criar situações dignas de golo. Sem grande perigo de bola corrida nesta segunda parte, a União de Leiria causava calafrios aos da casa quando conseguiam meter o esférico na área. Badará, com um cabeceamento fortíssimo na sequência de um pontapé de canto, fez o 2-1 e reduziu a desvantagem, dando esperança à formação de Leiria. No entanto, já pouco havia a fazer e a vitória acabou por não fugir ao Estrela da Amadora.

Vitória caseira justa da equipa que mais fez por conquistar os três pontos. Desta forma, a equipa da Amadora segue cada vez mais destacada no topo da classificação, estando assim mais perto de conquistar a tão ansiada subida à Segunda Liga.

 

A FIGURA

Sérgio Conceição – Grande jogo do ala direito da equipa tricolor. Fez o flanco direito todo sempre a grande ritmo. Registou várias interceções, algumas recuperações de bola e ainda conseguiu ir várias vezes criar perigo lá à frente. Também adicionou ao seu registo duas assistências de grande qualidade.

O FORA DE JOGO

Segundos em que o CF Estrela jogou com 12 jogadores em campo – Momento insólito. Perto do fim, o Estrela realizou uma tripla substituição, no entanto, entraram três e saíram dois. A equipa de arbitragem não notou e durante uns momentos, o Estrela jogou com 12 jogadores. Esta situação causou um imenso bate-boca entre jogadores e equipas técnicas e, como é lógico, uma grande paragem de jogo. Uma situação que não beneficia, em nada, o futebol.

 

ANÁLISE TÁTICA – CF ESTRELA

A equipa da casa começou a partida num 3-4-3. É um sistema muito utilizado pela equipa e que demonstra várias dinâmicas, sobretudo quando os laterais sobem e os extremos jogam em zonas mais interiores. Na primeira parte, a equipa pressionava no campo todo e recuperava a posse em zonas adiantadas do terreno.

Na segunda, e depois de já estar a vencer, a equipa baixou linhas e o adversário teve mais bola. Após o segundo golo, a equipa passou a alinhar num sistema em que os laterais não subiam tanto e alinhavam mais junto da defesa, entregando assim as zonas ofensivas exclusivamente aos avançados.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Filipe Leão (6)

Zé Pedro (7)

Hélder Laton (6)

Xavier Fernandes (6)

Diogo Leitão (6)

Paollo Madeira (7)

Edu Duarte (6)

Diogo Clemente (6)

Chapi Romano (7)

Sérgio Conceição (8)

André Duarte (6)

SUBS UTILIZADOS

Horácio Jau (6)

Leandro Tipote (7)

Filipe Gaspar (-)

Yuran Fernandes (-)

Filipe Gaspar (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – UD LEIRIA

A equipa de Leiria ia variando entre o 4-3-3 e o 4-2-3-1. Andrézinho atuava muitas das vezes atrás do ponta-de-lança, sendo que foi um elemento importante, quer a jogar entrelinhas, quer a aparecer em zonas de finalização.

Quando se viram em desvantagem, os visitantes subiram linhas e tiveram mais bola, no entanto foram incapazes de criar situações de grande perigo, o que acabou por ditar a derrota na partida.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Fábio Ferreira (7)

João Dias (7)

Dénis Martins (6)

Babanco (6)

Leandro Antunes (6)

Afonso Caetano (6)

Kaká (6)

Rui Gomes (7)

Andrézinho (7)

Diego Galo (6)

Perdigão (6)

SUBS UTILIZADOS

Badará (7)

João Paredes (6)

Tiago Castro (6)

Renato Alexandre (6)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CF Estrela

BnR: Boa tarde mister, a sua equipa hoje marcou dois golos, duas bolas paradas e duas bolas paradas batidas ao primeiro poste, queria perguntar se era uma fraqueza identificada no adversário pela sua equipa técnica e treinada durante a semana, ou se as bolas batidas ao primeiro poste partiram sobretudo da atenção e do instinto de quem as cobrou, neste caso Sérgio Conceição?

Rui Santos: Todos os jogos, mesmo neste nível, já são altamente preparados. Nós fizemos uma análise e observação ao adversário, sentimos que há muita coisa que eles fazem bem, há outras que não fazem tão bem, naturalmente que esta era uma situação que tínhamos previsto no nosso jogo e as coisas correram bem. Estamos muito satisfeitos porque é o fruto do trabalho que nós fazemos durante a semana e que, neste caso, deu resultado.

 

UD Leiria

Hélder Pereira não se deslocou à conferência de imprensa. No seu lugar veio à conferência de imprensa o presidente da UD Leiria. O mesmo afirmou que vai “protestar à Federação sobre a situação dos segundos jogados pelo Estrela da Amadora com 12 jogadores dentro de campo”.

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome