A CRÓNICA: UM JOGO EM QUE A EFICÁCIA E A EXPERIÊNCIA FIZERAM TODA A DIFERENÇA…

A União de Leiria recebeu e venceu o Vitória FC no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, em partida a contar para a segunda jornada da fase de acesso à Segunda Liga, Zona Sul, depois de uma derrota para a formação da casa e um empate para os visitantes na primeira jornada do playoff.

A partida começou com as formações a quererem imprimir intensidade no jogo, ainda que com um maior destaque para o lado do Vitória FC, mais pressionante e atrevido. O UD Leiria viu o seu jogo condicionado quando, à passagem do minuto 16’, Victor Massaia viu o cartão vermelho e deixou a sua equipa reduzida a dez unidades.

Numa primeira parte em que escassearam as oportunidades de golo, foram os sadinos quem dispuseram da melhor chance, à passagem do minuto 28’, mas Frederic Mendy não soube aproveitar. Já os leirienses tentaram responder e ameaçaram a baliza dos visitantes em cima do intervalo, mas também não conseguiram faturar.

Anúncio Publicitário

No segundo tempo, a formação da casa entrou melhor na partida, tentado chegar com celeridade à baliza adversária e fazendo esforços para contrariar a adversidade de se encontrar com um homem a menos. O Vitória sentiu dificuldades em entrar no jogo e o Leiria acabaria mesmo por marcar, ao minuto 70’, por intermédio do central Diego Galo, após a conversão de um canto. A equipa da casa ganhou ainda mais confiança e acabou mesmo por chegar ao segundo golo, ao minuto 79’, por intermédio do recém-entrado Badará.

O Vitória tentou responder, enviando uma bola à trave da baliza defendida por Fábio Ferreira. A insistência sadina nos minutos finais deu frutos, chegando ao seu tento ao minuto 88’, após um autogolo de Fábio Ferreira, à imagem do que sofreu na jornada anterior, mas ainda assim foi insuficiente.

Posto isto, o UD Leiria aguentou o triunfo e subiu ao segundo posto do grupo da Zona Sul com três pontos, enquanto o Vitória FC passa a ocupar a última posição. O primeiro lugar é ocupado pelo CF Estrela, que venceu no reduto do SCU Torreense por 3-0.

 

A FIGURA

Diego Galo – O experiente central do UD Leiria foi preponderante no jogo, tanto no aspeto defensivo como ofensivo, tendo sido dele o primeiro golo da sua equipa, tento esse que colocou a sua formação numa posição mais confortável no marcador.

 

O FORA DE JOGO

Victor Massaia – O defesa da formação da casa foi expulso ainda dentro da primeira meia hora do encontro, tendo comprometido a sua equipa numa fase muito precoce do encontro. Apesar do triunfo da sua formação, a sua expulsão podia ter ditado um resultado negativo para a sua equipa.

 

ANÁLISE TÁTICA – UD LEIRIA

A formação orientada por Hélder Pereira apresentou-se num sistema tático base de 4-3-3. As saídas para o ataque foram muitas vezes orquestradas por Babanco, que atuou como médio mais recuado. A formação da casa viu-se privada de um jogador muito cedo na partida devido a expulsão, mas manteve-se compacta e solidária, acabando por arrancar um triunfo importantíssimo num jogo muito sofrido. A aposta em contra-ataques e ataques rápidos, bem como em situações de bola parada acabaram por fazer a diferença.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Fábio Ferreira (7)

João Dias (c) (6)

Babanco (7)

Leandro Antunes (6)

Afonso Caetano (6)

Kaká (6)

Victor Massaia (5)

Rui Gomes (6)

Andrézinho (6)

Diego Galo (8)

Perdigão (6)

SUBS UTILIZADOS

Dénis Martins (6)

João Paredes (6)

Iddriss (6)

Badará (7)

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA FC

Os sadinos dispuseram-se no terreno de jogo num dispositivo tático base em 4-4-2 losango. Com uma pressão alta e agressiva ao portador da bola, o Vitória FC conseguiu criar perigo, roubando várias bolas ao adversário em zonas altas no terreno. A formação de Setúbal mostrou-se mais perigosa junto da baliza adversária, principalmente após ver o UD Leiria reduzido a dez unidades. Ainda assim, não souberam aproveitar as oportunidades para marcar, e acabaram por sair derrotados apesar da vantagem numérica que dispuseram durante uma hora de jogo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

João Valido (6)

Mano (6)

Bruno Ventura (6)

Frederic Mendy (6)

André Sousa (6)

João Serrão (6)

Nuno Pinto (6)

José Semedo (c) (6)

François (6)

Gonçalo Batista (6)

Zequinha (6)

SUBS UTILIZADOS

Rodrigo Pereira (6)

André Pedrosa (6)

Diogo Martins (6)

João Marques (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

UD Leiria

BnR: Tendo em conta que tem no plantel jogadores tão experientes como Babanco e Diego Galo, que fizeram um grande jogo, num momento de adversidade como este em que a equipa se encontra reduzida a dez num momento tão precoce na partida, se esses jogadores acabam por ter um papel fundamental no estado anímico da equipa e ajudar os colegas?

Hélder Pereira: Sem dúvida, que idade é que eles têm? Fiquei com a perceção que até tinham 20, 21, porque 35 e 37 não parecia deles. Foi fantástico, é fantástico ter jogadores destes no plantel.

 

Vitória FC

BnR: O Vitória FC entrou muito bem na primeira-parte, a controlar o jogo e a aproximar-se com perigo da baliza adversária e não conseguiu concretizar. Na segunda parte o UD Leiria entrou melhor apesar da desvantagem numérica, sente que os seus jogadores acabaram por acusar alguma ansiedade pelas oportunidades desperdiçadas?

Alexandre Santana: Eu não lhe chamaria ansiedade, até porque como disse e bem, entrámos melhor no jogo, temos uma oportunidade clara do Mendy e manda a bola por cima. Aparece no sítio e na hora certa e não consegue fazer o golo. Independentemente disso, acabamos por sofrer de bola parada, fecha-se, como todas as equipas deveriam fazer. Nós continuámos a conseguir chegar ao último terço do adversário, mas uma equipa que faz 29 cruzamentos, o que significa 29 bolas colocadas em zona de finalização, 18 remates, três limpos e claros dentro da área e não fazemos golo… Ainda assim, dá-me tranquilidade para o futuro porque as oportunidades são criadas e poderão acontecer a qualquer momento, acredito que não possamos falhar sempre. Preocupava-me mais se não chegássemos lá, e chegámos. Podemos é não ter tido a maturidade suficiente para as concretizar.  É continuar a trabalhar. Nada está perdido e nada está ganho.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome