Depois de fazer história em Basileia, o Belenenses procurava a segunda vitória no Grupo I da Liga Europa. Contudo, os “azuis” ficaram-se pelas intenções e foram derrotados em casa por duas bolas a zero.

Com frio e tempo nublado no Restelo, a primeira parte também não aqueceu as bancadas. O Basileia teve sempre mais iniciativa de jogo e posse de bola, mas não assustou realmente Hugo Ventura. Uma bola ao poste logo no início da partida foi o lance mais perigoso dos suíços, que trouxeram uma ruidosa claque que esteve animada durante todo o encontro. O Belenenses esteve sempre na expetativa e a tentar sair em contra-ataques rápidos, mas por poucas vezes conseguiu chegar à área do Basileia. A primeira parte foi assim fria e com pouca animação, que chegou já no final. Num lance em que a defesa do Belenenses podia ter resolvido de uma maneira mais adequada, o árbitro húngaro Tamás Bognar considerou que Filipe Ferreira derrubou Breel Embolo já dentro da área. Na conversão da grande penalidade, Marc Janko, ex-jogador do FC Porto, inaugurou o marcador, quando já estávamos à beira do intervalo. A vantagem do Basileia assentava bem se analisássemos apenas o controlo e a iniciativa de jogo, apesar de os suíços também não terem criado muito perigo.

Na segunda parte, esperava-se que os azuis do Restelo viessem mais agressivos e a tentar jogar numa toada mais ofensiva, mas não foi isso que aconteceu. Após Janko ter ameaçado o bis, num lance em que Ventura se opôs com qualidade, os suíços chegaram mesmo ao 2-0. Embolo apareceu isolado, contornou o guarda redes e atirou para o golo, de nada valendo o esforço de Tonel, que tinha entrado na primeira parte para o lugar do lesionado Gonçalo Brandão.

O momento em que Embolo confirma o segundo golo no Restelo. Fonte: FC Basel 1893
O momento em que Embolo confirma o segundo golo no Restelo.
Fonte: FC Basel 1893

A partir do segundo golo, os suíços resguardaram-se mais no seu meio campo, gerindo a vantagem e ficando à espreita de mais um eventual erro do Belenenses para alargar a vantagem. O Belenenses começou a ter mais bola, mas nem Kuca, nem Luís Leal (que, segundo Sá Pinto, jogou condicionado fisicamente durante grande parte do encontro) conseguiram criar desequilíbrios, permitindo que o guardião contrário, Vaclik, tivesse uma noite descansada em Lisboa.

No final da partida, Ricardo Sá Pinto disse ao Bola na Rede que o jogo se decidiu nos detalhes e considerou que a grande penalidade que resultou no primeiro golo do Basileia não existiu, aproveitando para reforçar a ideia de que o Belenenses tem tido alguma falta de sorte esta época e que a equipa continua a sonhar com o apuramento, mesmo não sendo a Liga Europa uma prioridade. Já Urs Fischer, técnico dos suíços, em resposta ao Bola na Rede, ficou muito agradado com a organização e a exibição dos seus atletas, mas ainda não dá como consumada a qualificação para a próxima fase.

Depois deste resultado e da vitória da Fiorentina na Polónia frente ao Lech Poznan, os azuis estão agora no último lugar do Grupo I, com os mesmos pontos do Lech Poznan e a dois dos italianos orientados pelo português Paulo Sousa. Na próxima jornada, os comandados de Ricardo Sá Pinto voltam a jogar em casa, recebendo desta vez a equipa polaca.

A Figura:

Embolo – Esteve no lance do penalty e fez o segundo golo. Com apenas 18, o jovem suíço mostrou-se a um bom nível sendo sempre dos mais activos dos helvéticos.

O Fora-de-Jogo:

Fraca capacidade ofensiva do Belenenses – Num jogo onde ganhar, ou pelo menos pontuar, era importante, os homens do Restelo pouco mostraram no ataque. Kuka continua inconstante. Luís Leal jogou em dificuldades e Tiago Caeiro não convenceu.

Foto de capa: Os Belenenses

Artigo de André Conde e Diogo Janeiro Oliveira

Comentários