futebol nacional cabeçalhoTarde de domingo a convidar para o futebol e os adeptos a comparecerem em bom número, tanto do Vitória como do Belenenses. Um jogo entre duas equipas em crescimento e a procurar na segunda volta lutar por um possível lugar europeu.

Não podia pedir melhor inicio o Belenenses, ao marcar aos 8 minutos por Miguel Rosa. Abalados por este início, os homens de Sérgio Conceição procuraram a área do Belenenses mas quem marcou voltaram a ser os homens do Restelo. Bakic, reforço de inverno, estreou-se a marcar com a camisola da Cruz de Cristo.

Esperava-se uma reação vitoriana, mas o Belenenses não parecia estar preparado. Num jogo nem sempre bem jogado mas que valia pela vontade de ambas as equipas, o Vitória não baixou os braços e chegou ao empate. Bouba, de cabeça, deu o mote e, aos 42 minutos, a defesa do Belenenses fica a dormir, apenas Filipe Ferreira acompanha Ricardo Valente mas teve o azar de empurrar a bola para dentro da baliza em vez de a cortar. Um empate que premiava a vontade do Vitória, que procurou muito mais vezes o golo do que o Belenenses, que ficou demasiado tranquilo depois do segundo golo.

Os adeptos do Vitória SC não pararam de apoiar a equipa vimaranense
Os adeptos do Vitória SC não pararam de apoiar a equipa vimaranense

De destacar, ao intervalo, o facto de as escolas do Belenenses terem dado uma volta ao estádio para se mostrarem aos associados e quando passaram pela bancada dos adeptos do Vitória terem sido aplaudidos pelas claques. Um bonito gesto, que só fica bem no nosso futebol.

A segunda parte começou bem, o Vitória entrou mais forte e teve o primeiro lance de perigo; os jogadores do Belenenses não quiseram ficar atrás e logo na jogada seguinte ameaçaram a baliza de Miguel Silva.

Depois de um período de maior acalmia, Juanto voltou a adiantar o Belenenses no marcador, após uma recarga a um remate de Miguel Rosa, na qual o jovem guarda redes do Vitória podia ter feito melhor.

O próximo lance de perigo volta a ser para a formação do Belenenses, com Juanto novamente a meter a bola na baliza mas em posição irregular. No lance seguinte Henrique Dourado volta a empatar o jogo com um grande golo à entrada da área.

Até ao final do jogo as duas equipas tiveram oportunidades para marcar, num final frenético. O derradeiro lance de perigo e, ao mesmo tempo, o mais perigoso, foi de Henrique Dourado, que, depois de uma excelente desmarcação, remata ao lado, ficando no entanto a ideia de que o brasileiro estava adiantado.

A Figura:

Miguel Rosa – O jogador formado no Benfica marcou o primeiro golo do jogo e fez o mesmo ser muito mexido. O médio continua a ser dos melhores do Belenenses.

O Fora-de-Jogo:

Defesa d’Os Belenenses – O setor mais recuado dos azuis continua a ser o pior deste novo Belenenses; dez golos sofridos nos últimos cinco jogos da liga. Julio Velasquez tem ainda que trabalhar este sector.

Perguntas BnR:

A sua equipa por duas vezes esteve a perder e por duas vezes deu a volta ao resultado. Acha que o plantel é cada vez mais um plantel à imagem do que era o Sérgio Conceição enquanto jogador?

Sérgio Conceição: Acho engraçada essa pergunta. Se isso significa meter a equipa a jogar a um nível acima do que já estava, então sim. Sei que agora parecia o Jorge Jesus, nada contra ele porque somos grandes amigos.

Se o Belenenses ganhasse ficaria praticamente atrás do Vitória. Perderam dois pontos na luta pela Europa?

Julio Velazquez: Não, ganhámos um ponto na luta pela manutenção. O nosso objectivo é jogo a jogo conquistar pontos para a manutenção, é esse o objectivo a que nos propomos. Existem equipas que têm outros argumentos para lutarem pela Europa.

Reportagem de André Conde e Rodrigo Fernandes

Comentários