Anúncio Publicitário
Anterior1 de 2

A CRÓNICA: NUMA NOITE FRIA NO JAMOR, BASTARAM DOIS MOMENTOS DE “CALOR” PARA DESBLOQUEAR O JOGO

Belenenses SAD e Paços de Ferreira enfrentaram-se no Estádio do Jamor numa partida a contar para a 13º jornada da Liga. Duas equipas que vinham de resultados diferentes, com os castores a procurarem a segunda vitória consecutiva, enquanto que o Belenenses queria regressar aos triunfos depois de um empate a zero em Barcelos.

Anúncio Publicitário

O encontro começou e os visitantes assumiram o controlo. Os azuis do Jamor ainda assustaram com o primeiro remate, mas foi mesmo o Paços que inaugurou o marcador à passagem do minuto 11. Luther Singh colocou a bola na área onde apareceu Hélder Ferreira que foi parado em falta por Tomás Ribeiro. O árbitro João Pinheiro apontou para a marca de grande penalidade, onde Bruno Costa foi mais forte fez o 0-1.

O Belenenses SAD procurou o empate, mas foi o Paços que esteve mais perto de dilatar a vantagem por intermédio de Douglas Tanque mas Kritciuk defendeu para canto.

Com a vantagem no marcador, os “castores” começaram a recuar, e a equipa da casa começou a colecionar oportunidades de golo que o guardião Jordi Martins ia defendendo com segurança.

Aos 38 minutos, Maracás marcou o segundo golo do Paços, depois de passe de Hélder Ferreira, mas havia posição irregular do extremo visitante e o golo foi anulado por fora-de-jogo.

No segundo tempo a toada manteve-se, com o Paços de Ferreira a recuar no campo e a dar a iniciativa do jogo ao Belenenses, que se ia aproximando da baliza defendida por Jordi Martins. O guardião dos “castores” ia sendo uma das figuras do jogo, ao colecionar várias defesas difíceis que mantinham a sua baliza inviolada.

Aos 54 minutos, Bruno Costa esteve muito perto de bisar, com um livre ainda longe da baliza, mas que passou a centímetros da trave. Foi uma das poucas oportunidades de golo da equipa da Cidade do Móvel na segunda parte, que abdicava da bola e se contentava em defender.

No entanto, a estratégia mudou à passagem do minuto 75, altura em que o Paços começou a recuperar a posse de bola e a disputar o jogo. Os comandados de Pepa foram equilibrando a partida e aproximando-se da baliza de Kritciuk.

Com o crescimento do seu adversário, o Belenenses deixou de conseguir importunar com tanta frequência o guarda-redes Jordi Martins, e o jogo começou a disputar-se mais a meio campo. O técnico visitante lançou João Amaral e Diaby no jogo, o que provou ser determinante.

Depois de 92 minutos, João Amaral marcou um canto do lado direito do ataque. A defesa aliviou, mas o esférico sobrou novamente para Amaral. O extremo cruzou para a cabeça de Diaby, que cabeceou a contar e fez o segundo golo do jogo, fechando assim o marcador e carimbando a vitória do Paços.

Anterior1 de 2

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome