Terminada a primeira volta, é hora dos primeiros balanços da época. Dá-se a segunda corrida ao mercado da época e tenta-se melhorar aspectos para a segunda volta. Neste artigo, fazemos um balanço diferente; olhamos aos golos marcados de cabeça por todas as equipas.

Este tipo concreto de golos permite apurar as equipas mais perigosas nas bolas paradas e as mais permeáveis nos momentos defensivos, pelo ar. Por outro lado, permite distinguir as equipas que chegam ao golo de bola corrida e poucas vezes ou nunca através das bolas pelo ar.

Anúncio Publicitário

No topo das equipas que mais concretizam de cabeça estão Moreirense FC, CD Tondela e SL Benfica com seis golos, mas é o FC Porto quem lidera, de longe; 11 cabeçadas certeiras. No extremo oposto estão Rio Ave FC e Vitória FC com dois golos e Belenenses SAD com apenas um.

No lado oposto do terreno do jogo, CD Santa Clara, Moreirense FC e CD Tondela são as equipas que mais sofrem pelo ar (sete golos) e FC Porto, SL Benfica e Gil Vicente FC as que menos golos permitem (dois).

As águias são a melhor defesa do campeonato ao cabo da primeira volta e concederam apenas dois golos de cabeça
Fonte: SL Benfica

Os dragões destacam-se, de longe, como a equipa mais concretizadora de cabeça dentro e fora de portas; seis golos no Dragão e cinco nos jogos fora. Os golos de cabeça representam cerca de 30 porcento da produção ofensiva dos dragões e dão força às recentes capas de jornais que os distinguiam como a melhor equipa da Europa no capítulo das bolas paradas.

Dentro de portas, também o FC Porto se destaca por não ter sofrido qualquer golo de cabeça, mas desta vez também as águias, Gil Vicente FC e Vitória FC igualam o registo. Enquanto visitados, destaque ainda para CD Tondela e Moreirense FC com quatro golos marcados de cabeça.

Na condição de visitante, as águias surgem atrás do FC Porto com quatro golos marcados e o Gil Vicente FC e Rio Ave FC são as únicas formação sem qualquer golo de cabeça. A equipa mais batida longe de casa é, de longe, o CD Tondela com seis golos encaixados. No extremo oposto, SC Braga, Rio Ave FC, FC Famalicão, CS Marítimo, Boavista FC e FC Paços de Ferreira concederam apenas um golo pelo ar fora de portas.

Importa ainda resalvar que mais de 35 porcento dos golos do CD Tondela e FC Paços de Ferreira são de cabeça e o CD Santa Clara ultrapassa mesmo a barreira dos 40 porcento. SL Benfica e CD Tondela fixam a taxa de golos de cabeça sofridos por volta dos 30 porcento, a mais elevada.

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede