ÚLTIMA HORA:

Lusitano FCV x GD Oliveira de Frades

Lusitano FCV 3-0 GD Oliveira de Frades: Pressão alta permite ultrapassagem na tabela

A CRÓNICA: JOGO DE SENTIDO ÚNICO

Depois de dois jogos sem ganhar, o Lusitano FCV procurava voltar ao caminho das vitórias e também conseguir ultrapassar o GD Oliveira de Frades na tabela classificativa.

A equipa da casa começou a partida praticamente na frente. Luís Almeida de cabeça, aos cinco minutos, fez o 1-0.

Apesar da vantagem, eram os anfitriões que estavam mais próximos do golo. À passagem do minuto 20, Luís Barry rodou no coração da área perante o defesa adversário e rematou para uma excelente defesa de Badi Sea.

Dez minutos depois, lance caricatura, com o guardião do Oliveira de Frades a sair da grande área para aliviar a bola. No entanto, a bola ressaltou, Sea não conseguiu sequer tocar no esférico e deixou à mercê de Gonçalo, que perdeu tempo e acabou por permitir a defesa do guarda-redes adversário.

Antes do intervalo, tempo ainda para Gonçalo, com um remate de fora de área, atirar à barra da baliza dos visitantes.

Na segunda parte, os anfitriões entraram a um ritmo mais lento, mas ainda assim Kiko poderia ter feito o segundo, mas Sea conseguiu defender o remate.

Já o Oliveira de Frades continuava sem levar perigo à baliza de Tony, que apenas tinha trabalho a agarrar as bolas vindas de cruzamentos inofensivos.

Apenas perto do minuto 80 do jogo houve motivos de interesse. Na sequência de um canto à direita, Leal cabeceou para o fundo da baliza adversária e fez o 2-0.

Só perto do minuto 90 o Oliveira de Frades fez um remate digno de registo, mas Igor acabou por rematar muito longe do poste esquerdo da baliza de Tony. No entanto, o resultado havia ainda de se alterar, com Iuri Bessa a rematar de fora de área para o 3-0, depois de uma defesa incompleta de Sea.

O Lusitano acaba por vencer de forma incontestável e ultrapassa na tabela classificativa o Oliveira de Frades.

 

A FIGURA

Fonte: Bola na Rede

Pressão alta do Lusitano – O treinador arriscou e mudou o esquema tático para este jogo. Preocupado com a dinâmica ofensiva do Satão. A organização da equipa da casa com três centrais retirou espaço no ataque à equipa adversária e permitiu fechar os caminhos da baliza, em especial na primeira parte.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: GD Oliveira de Frades

Falta de ideias do ataque do Oliveira de Frades – A equipa visitante nunca conseguiu lidar com a pressão alta dos adversários e acabou por nunca conseguir ligar o jogo, abusando dos pontapés longos do seu guarda-redes. Sem soluções, o único remate do Oliveira de Frades acabou por ser realizado à passagem do final da segunda parte…

 

ANÁLISE TÁTICA – LUSITANO FCV

Sérgio Fonseca estreou-se no comando técnico, abdicando de um dos três centrais habitualmente usados esta época. Tati foi o sacrificado, mantendo-se o capitão Calico com João André.

A equipa da casa jogou em 4x3x3, com Luís Almeida, muitas vezes a movimentar-se da esquerda para o centro, juntando-se ao experiente Luís Barry. Kiko ocupava o corredor esquerdo do ataque, mas por vezes, teve de baixar e compensar o lateral Leal. A pressão alta exercida não permitiu que a equipa adversária construísse o jogo a partir de trás.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Tony (6)

Tomé (7)

Calico (7)

João André (7)

Leal (7)

Salú (7)

Bruno Loureiro (6)

 Gonçalo Santos (7)

 Kiko (7)

Luís Almeida (7)

 Barry (6)

SUBS UTILIZADOS

Iuri Bessa (-)

Vasco Paredes (-)

Chico Simões (-)

Ricardo Ferreira (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – GD OLIVEIRA DE FRADES

Marcos Bastidas apostou num 4x5x1. Mamadu era a referência ofensiva na área, mas passou muitas vezes despercebido junto dos defesas adversários e teve regularmente de recuar para apoiar defensivamente a equipa e procurar jogo.

Magique, antigo jogador da Académica, era organizador do jogo do GDOF, tendo, muitas vezes, de recuar até aos centrais para vir buscar bola. Os alas da equipa encontravam-se muito encostados aos laterais, numa tentativa de defender de forma compacta, que acabou por não resultar.

Como não conseguiam lidar com a pressão alta do Lusitano, a equipa oliveirense abusou dos pontapés longos de Sea que eram preza fácil para a defensiva adversária.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Sea (7)

 Lille (6)

Tiago Cabé (6)

 Zé Carlos (6)

Pedro Rordigues (6)

Stephen (5)

Magique (5)

Zoca (5)

 Igor (5)

 Nando (5)

 Mamadou (5)

SUBS UTILIZADOS

Mauro (5)

  Luís Pinto (5)

Nery (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Lusitano FCV

BnR: O Lusitano jogou hoje dois centrais, ao contrário de vários jogos esta época. Pretende manter o esquema tático utilizado hoje?

Sérgio Fonseca:  A nossa primeira preocupação foi tendo em conta que era a falta de confiança que os atletas estavam a demostrar, era coloca-los num esquema tático em que se sentissem confortáveis, através da conversa que tivemos com eles durante a semana. Depois, também avaliámos as dinâmicas do Oliveira de Frades e decidimos optar por este sistema. Poderá ser um sistema que a gente mantenha ou se virmos necessidade de alterar, vamos fazê-lo também. Vai depender daquilo que for o nosso adversário também, toda a estratégia vai ser avaliada semana a semana.

BnR: O bom jogo e o resultado alcançado passaram muito pela pressão alta exercida pelo Lusitano sob os jogadores do Oliveira de Frades?

Sérgio Fonseca: Sim, começa também por aí. Uma das armas que o Oliveira de Frades tem são os dois médios que costumam pegar muito no jogo. São jogadores com muita qualidade e a partir daí eles começam a desenrolar todo o seu futebol que tem muita qualidade também. Inicialmente a nossa ideia foi estancar esses mesmo jogadores, não permitir que eles conseguissem iniciar a fase de construção do jogo e daí tirarmos os nossos devidos proveitos dessa situação.

BnR: O Lusitano apresenta registos antagónicos em casa [quatro vitórias em quatros jogos] e a jogar fora [quatro empates e uma derrota, em cinco jogos]. A forma de jogar fora de casa irá ser diferente?

Sérgio Fonseca: Nós vamos a todos os jogos em buscar dos três pontos. Podemos mudar aqui ou acolá a estratégia, criarmos outra nuance, mas o principal objetivo será sempre lutar pelos três pontos. Temos passado essa mensagem aos jogadores e vamos continuar em busca sempre das vitórias. Vínhamos da primeira derrota da equipa e precisávamos de voltar urgentemente às vitórias e esperamos continuar nos jogos fora com essa dinâmica.

 

GD Oliveira de Frades

BnR: Que análise faz a esta partida?

Marcos Bastidas: O Lusitano marcou três golos, leva a vitória, consegue os três pontos. Uma equipa experiente que foi eficaz, tem cinco remates enquadrados com a baliza, concretizou três. Parabéns aos vencedores. O primeiro golo foi muito cedo, demérito nosso do lançamento em que permitimos que o atleta do Lusitano faça um bom cruzamento e depois uma boa finalização. Condiciona o jogo todo. O jogo foi bastante repartido, acho que tivemos mais bola em determinados momentos do jogo, mas isso não faz diferença no resultado porque quem ganha, é quem marca mais golos. Por isso, o Lusitano é um justo vencedor. Oliveira de Frades

BnR: A equipa acabou por não criar lances de perigo. Não conseguiram lidar com a pressão alta do Lusitano?

Marcos Bastidas: O facto de não conseguir concretizar ou criar situações de finalização haverá demérito da nossa parte e mérito do adversário. Eu vou acreditar mais que houve mérito do adversário porque, neste momento, preciso do grupo junto e unido porque nós ainda temos jogos pela frente que devemos e queremos ganhar. Este foi mais um jogo que tristemente perdemos, mas obviamente temos de fazer mais e melhor se queremos ganhar os restantes. Posso realçar uma situação individual que não gosto de fazer: no meu entender, para mim o melhor jogador em campo foi o nosso júnior, Igor e, quando isso acontece alguma coisa está mal, alguma coisa está mal com a equipa técnica, com o treinador e tenho de assumir as minhas responsabilidades. Mas também é sinal que temos malta que quer e que a temos de a pôr em campo para conseguirmos melhores resultados.

BnR: Apesar desta derrota [desceu da 3ª. para 4ª. posição, fora dos lugares de acesso à fase de subida], a equipa continua com o objetivo de tentar alcançar as três primeiras posições?

Marcos Bastidas: Claro, depois do que foi feito na época passada, em que obtivemos um quarto lugar, o objetivo era ficar nos dois primeiros classificados ou ser um dos melhores terceiros que nos permitisse garantir a manutenção o mais rapidamente possível. Está a olhos vistos a competitividade da nossa série. Dependemos só de nós neste momento. Por isso, temos de fazer mais e melhor. Oliveira de Frades

Componente 5 – 1 (1)

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA