700 golos é uma marca na carreira que poucos se podem orgulhar de alcançar. Uma marca histórica que só está ao alcance dos melhores da história do futebol, e essa, inevitavelmente, está ligada a Cristiano Ronaldo. Apesar do jogo do golo 700 não ficar para a história (recordo que a Seleção Nacional perdeu por 2-1 contra a seleção da Ucrânia), Ronaldo apontou da marca de penálti, o seu golo 700 da carreira. Uma carreira recheada de golos, de recordes e títulos.

Aos 34 anos, Cristiano já é o melhor jogador da história do futebol português e caminha para ser um dos melhores de sempre do futebol mundial. É verdade, não tem, o talento natural de Leonel Messi, mas com trabalho e muita perseverança chegou onde poucos conseguiram chegar. Sete centenas de golos que foram repartidos por Sporting CP (5), Manchester United FC (292), Real Madrid CF (450), Juventus FC (51), enquanto que os restantes 95 foram com a camisola das “quinas” ao peito.

Ao viajar-se pela história de golos de CR7 há golos mais especiais que outros. Como tal, vou começar pela estreia a marcar como profissional sénior. Como se costuma dizer, a primeira vez nunca se esquece, e a primeira vez de Cristiano Ronaldo a marcar foi contra o Moreirense FC, e logo com um bis. Desde aí já houve golos para todos os gostos: de cabeça, pé esquerdo, pé direito, livre ou de pontapé de bicicleta.

Ao pensar na carreira de Cristiano, inevitavelmente, vêm nos à cabeça os golos nos dérbis no Santiago de Bernabéu frente ao Atlético de Madrid ou FC Barcelona.  As noites na Liga dos Campeões onde Cristiano Ronaldo brilhou jogo após jogo, ou ainda os tempos de glória do Manchester United onde Cristiano conquistou a sua primeira Liga dos Campeões.

O Real Madrid foi o clube onde Ronalgo marcou mais golos (450)
Fonte: Real Madrid CF

Enquanto adepta, se tivesse que escolher um só golo, escolhia o pontapé de bicicleta apontado nos quartos-de-final da Liga dos Campeões de 2017 frente à Juventus. Contudo, não nos podemos esquecer daquele golo de cabeça frente ao Pais de Gales, no Europeu de 2016; ou do golo de livre no Mundial de 2018 frente à Espanha.

Pela seleção nacional vem-me também à memória aquele épico hat-trick frente à Suécia de Zlatan Ibrahimović. Estávamos em 2014 e Portugal precisava de vencer para estar no Mundial do Brasil. Recordo que estivemos a perder por duas vezes, mas “Pai Cris”, nome pelo qual vários jornalistas o apelidaram naquele dia, resolveu a eliminatória e colocou Portugal no Mundial 2014.

A história de Cristiano Ronaldo confunde-se com golos. Desde sempre que foi um finalizador, mas foi ao serviço do Real Madrid que aperfeiçoou a arte: apontou 450 golos em 438 jogos e marcou uma era no clube madrileno.

Apesar deste número redondo, e dos diversos recordes que bateu, certamente que Cristiano já está a pensar no próximo: superar Ali Daei, melhor marcador de sempre das seleções. O jogador iraniano apontou 109 golos pelo Irão, CR7 tem atualmente 95, não tenho dúvidas que o vai fazer e quiçá estabelecer um recorde ainda maior.

Foto de Capa: FIFA

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários