Cabeçalho Futebol Nacional

Dia três de Novembro de dois mil e dezasseis, o Futebol clube do Porto recebe o Sporting de Braga no Dragão com vista a realizar um bom jogo de futebol entre duas boas equipas. Declaro que sou bracarense e gostava que o meu clube ganhasse, apesar de saber que é difícil pois jogámos com um conjunto forte. É um encontro de grande importância para ambas, tendo em conta a sua ambição e objectivos traçados no início da época. Apesar daquela ligeira sensação de só estarem três pontos em disputa, existe muito mais a perder/ganhar com este encontro.

O caso dos da casa parece ser mais complicado. A situação é difícil para uma equipa que se habituou a vencer sempre qualquer coisa. Os portistas parecem ainda não ter encontrado a fórmula certa para fazer as pazes com os golos nem com os títulos. Não considero Nuno um mau treinador, antes pelo contrário, o que de facto sinto é que a mensagem para os atletas não tem passado. Acho que todos eles já perceberam a parte do «jogar à Porto», mas nem sempre o que dizes Nuno… Existe sim uma pessoa que te compreende e chama-se… Manuel Machado! Excelente orador e amante de palestras. Esquemas e desenhos até. Se Nuno não fosse treinador era Arquitecto, porque projecto existe, agora aplicar o material no sítio certo… Se calhar o mal está aí mesmo. É preciso saber ouvir outras opiniões. A dos jogadores é essencial. A velha máxima do «percebeste ou queres que te faça um desenho?» é agora mais que aplicável.

Anúncio Publicitário
Pede-se união aos jogadores do SC Braga Fonte: SC Braga
Pede-se união aos jogadores do SC Braga
Fonte: SC Braga

 

Faz outro desenho, Nuno! Se for preciso compra-se um caderno para cada um para poderem corresponder ideias de forma lúdica. «Uma imagem vale mais do que mil palavras.» Existem cadernos com mil páginas para o caso de a criatividade ser muita. Claro que contra o treinador da minha equipa falo… Ser teimoso até dá frutos… Olha o Peseiro… Tantas vezes aplica a mesma fórmula que um dia acaba por resultar! Espera-se um Porto melhor. O êxito que preenche os adeptos desta equipa está longe, mas acredito que chegue. O conjunto é muito bom, recheado de promessas e excelentes jogadores. Posto isto, acredito que chegará o dia. Honestamente, que não seja amanhã. Na próxima jornada! O Porto pode então catapultar-se novamente para o pódio caso conquiste uma vitória, e se jogar bem, algum oxigénio no que a resultados e opiniões diz respeito. Do lado do Braga a coisa está um pouco melhor. Mas não famosa. A altura do jogo não é boa para os da casa, mas para os arsenalistas também não o é.

O próximo encontro é frente ao Shakhtar, onde se decide a permanência na Liga Europa. Dois jogos de dificuldade máxima no espaço de uma semana. Vamos lá testar essa fibra! O futebol não é de eleição mas os resultados têm alegrado os dias. A assombrosa lista de lesionados não pára de ser revista. Volta um, vai outro. O quê o André Pinto já está bom!? É assim mesmo! O Mauro o quê!? Lesionou-se? Pois… E é isto… Um sai e outro entra. Como mandam as regras. Homem por homem. Não se pode jogar com doze… Gracinha à parte, a verdade é que as lesões têm impedido a equipa de jogar mais. Para os arsenalistas prevalece a vontade de se isolar no pódio, provando assim que pode ser um candidato surpresa ou uma daquelas moscas chatas que não deixam dormir ou ganhar campeonatos. Bzzzz… A equipa tem corrigido alguns erros que vinha a cometer até então, como é o caso de ser mais eficaz na cara do golo e trocar a bola com mais segurança.

Vai no comboio da frente merecidamente, apesar de Peseiro não ter convencido na totalidade. Os resultados estão visíveis, portanto as coisas não estão a correr assim tão mal como se previa. O ritmo é notório e vai preenchendo as lacunas técnicas que se avistavam desde o assento mais próximo do relvado até ao mais longínquo. Tocando no nervo, a questão está aqui. Será o Braga capaz de se impôr num terreno difícil numa altura em que alegrias poderiam preencher vazios? Eu penso que sim. Mas a concentração não pode estar só em fazer golos, jogar bem também é preciso. Os adeptos pedem-no e com razão. Qualidade existe daí a exigência. Uma vitória traria moral para os embates que se seguem. E a bem dizer, se vencermos, a moral pode mesmo ser decisiva nos próximos jogos. Que seja um bom jogo e ganhe o Braga!

Foto de capa: SC Braga