De acordo com o presidente do clube, António Salvador, a saída de Dyego Sousa foi uma exigência de Abel Ferreira – treinador que abandonou o SC Braga para treinar o PAOK.

Aparentemente, o valor baixo da transferência – que rondou apenas os 5,4 milhões de euros enquanto que, numa entrevista em inícios de junho, o presidente do SC Braga declarou que tinha recusado propostas pelo avançado num valor entre 12 e 15 milhões de euros – de acordo com António Salvador deveu-se a exigências de Abel Ferreira. Durante uma entrevista, onde foi colocada a questão relacionada com a razão da saída do avançado, o presidente arsenalista respondeu que foi uma das condições feitas por Abel Ferreira no final da época para dar continuidade à sua liderança no comando técnico do SC Braga. E, por essa razão, antes de iniciar o estágio aceitou a única proposta existente e transferiu o jogador.

Através das redes sociais, Dyego Sousa reagiu às declarações utilizando vários emojis pensativos e não dando uso a nenhum comentário, levando o negócio a ganhar novos capítulos.

Com a polémica instalada no seio do SC Braga e de Abel Ferreira, susposto criador da polémica, o mesmo remeteu-se ao silêncio afirmando que estava ocupado com a preparação da pré-eliminatória da Liga dos Campeões frente ao AFC Ajax.

No entanto, factos foram apurados. Em termos cronológicos, a saída de Abel Ferreira do comando técnico confirmou-se no dia 1 de julho, enquanto que a venda de Dyego Sousa foi oficializada no dia 10 de julho – sendo que a contratação do novo treinador do clube, Sá Pinto, tinha sido realizada no dia 3 de julho. O que significa que Abel Ferreira já nem se encontrava no clube, apesar do anúncio oficial da transferência nem sempre acontecer no momento em que fica fechada. Também, houve fontes que confirmaram que o ex-treinador do SC Braga, numa reunião preparatória, teria aconselhado António Salvador a cumprir a promessa realizada ao avançado em janeiro devido à necessidade de não ter um jogador insatisfeito – o que poderia gerar um balneário com um problema de foco.

Apesar de não serem factos confirmados, nem comentados tanto pelo jogador em causa como o treinador do PAOK, as odes encontram-se contra António Salvador e a respetiva justificação da venda de Dyego Sousa por 5,4 milhões de euros a Shenzhen, do futebol chinês.

Foto de Capa: SC Braga

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários