A dúvida sobre o acesso à Liga Europa surge inevitavelmente após a suspensão dos campeonatos portugueses de futebol devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Como sabemos, a resposta já chegou para os escalões de formação e até para todos os campeonatos seniores não profissionais (ou seja, até ao Campeonato de Portugal). No primeiro caso, optou-se pelo cancelamento total da temporada, não havendo lugar para campeões, subidas ou descidas.

Já no Campeonato de Portugal, apesar da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ter dado como terminada a época (sem atribuição de títulos), a situação é ligeiramente diferente: nenhum clube vai descer às provas distritais, mas está ainda em discussão a possibilidade da realização de um play-off entre os dois primeiros classificados de cada série (num total de oito emblemas) para determinar as equipas que devem ascender à segunda liga.

Por outro lado, os dois campeonatos seniores profissionais portugueses – primeira e segunda liga – ainda não conhecem qualquer decisão quanto ao seu futuro. A hipótese de serem jogadas as dez jornadas restantes está ainda em cima da mesa, o que nos dá alguma esperança de assistir a aguerridas lutas nesta fase final da temporada. Não falo só da disputa pelo troféu de campeão entre o FC Porto e SL Benfica (separados por apenas um ponto na tabela classificativa) e da corrida pela manutenção, onde o Portimonense SC e o CD Aves suspiram por um “bote salva-vidas” que milagrosamente os mantenha à tona.

No principal escalão de futebol português, a classificação aquando a suspensão do campeonato deixou em aberto um combate interessante pelo quinto lugar, que poderá corresponder a uma vaga extra para as eliminatórias da Liga Europa. Vejamos: se a vitória na Taça de Portugal dá acesso a um lugar na segunda pré-eliminatória na Liga Europa, tendo em conta que a final de Jamor se vai disputar entre os atuais dois primeiros classificados do campeonato – FC Porto e Benfica -, que têm já o seu lugar praticamente garantido nas competições europeias, sobrará uma vaga.

Anúncio Publicitário

Rio Ave FC, Vitória SC e FC Famalicão são os principais candidatos ao lugar disponível, já que se encontram na quinta, sexta e sétima posição, respetivamente, com os dois últimos em igualdade pontual e apenas a um ponto da equipa de Vila do Conde. Os rioavistas têm uma história ainda recente nas competições europeias: estrearam-se na época 2014/2015, depois de serem finalistas vencidos na final da Taça de Portugal da época anterior, ganha pelo também campeão nacional SL Benfica.

Já o emblema de Guimarães é “catedrático” nas provas europeias, tendo feito o seu primeiro jogo na temporada 1968/1969, na extinta Taça das Cidades com Feira. Até agora, são já 84 jogos disputados na Europa, com uma presença na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, na época 2007/2008, pelo meio.

O FC Famalicão, por seu lado, pode fazer a sua estreia absoluta em competições europeias, depois de regressar esta época ao principal escalão do futebol português, 25 anos depois. Os famalicenses têm até sido apontados como a equipa sensação do campeonato, muito devido às suas sete jornadas consecutivas na primeira posição.

As próximas semanas serão, naturalmente, decisivas para a chegada de uma decisão final quanto ao futuro da primeira e segunda liga. Resta-nos aguardar para perceber se podemos assistir a esta luta afincada pela possível vaga extra na Liga Europa (obviamente, desde que com todas as condições asseguradas), ou se a Liga terá de optar pelo término da época, levando a um conjunto de dúvidas, ainda por responder, inerentes a esta decisão.

Artigo revisto por Diogo Teixeira