2.

SC Braga 2-2 Gil Vicente FC, 2019/2020 (Vítor Carvalho) – Desengane-se quem pensa que só nos clubes ditos “grandes” é que os suplentes são decisivos. Na 20ª jornada da Liga, o SC Braga de Rúben Amorim estava em alta, com cinco vitórias em cinco jogos com o novo treinador, derrotando inclusive FC Porto e Sporting CP. O Gil Vicente FC ia a Braga defrontar a nova coqueluche do futebol nacional. O jogo começou de feição para os guerreiros: aos 22’, já venciam por 2-0. Aos gilistas tudo parecia correr mal: a perder 2-0, vêem a âncora do meio-campo, Soares, lesionar-se e ser substituído por Vítor Carvalho, um jovem brasileiro que se estrearia assim de galo ao peito. No entanto, aos 41’, Bruno Viana num erro infantil, perde a bola e derruba Naidji em cima da área, recebendo ordem de expulsão, o que mudou a maré do jogo.

Vítor Oliveira, um mestre do futebol português, percebendo que o Braga ia quebrar, foi refrescando o ataque com as substituições que lhe restavam e isso deu frutos: aos 65’, após muita confusão na área bracarense, apareceu Vítor Carvalho na recarga para reduzir o resultado. 2-1: ainda era possível sair da pedreira com pontos e os gilistas sentiam-no. Finalmente, aos 85’, Lourency foi à linha, cruzou atrasado para o jovem Vítor Carvalho que atirou com categoria para o empate. O resultado não se alterou mais até ao final. Foi uma estreia de sonho para o jovem médio dos Barcelenses, que ainda poderá recordar esse dia por outro motivo: fez parte da única equipa a roubar pontos ao Braga de Rúben Amorim.