A CRÓNICA: EFICÁCIA DO ATAQUE VS. DESACERTO DA DEFESA

O CD Santa Clara venceu esta tarde o Belenenses SAD por 2-0 e segue numa série de três vitórias consecutivas na Liga NOS. O Belenenses SAD teve mais posse de bola durante quase todo o jogo, mas o Santa Clara foi mais pragmático e fez dois golos no final da primeira parte, aproveitando as facilidades concedidas pela defensiva dos azuis.

O jogo começou de forma morna no Estádio Nacional. O Belenenses SAD começou melhor a partida, mas a posse de bola da equipa de Belém não se traduziu em oportunidades de golo. A equipa do CD Santa Clara esteve menos bem no jogo, mas aproveitou um erro individual de Danny já perto do intervalo. O central luso-holandês perdeu a bola numa zona privilegiada e Schettine, frente a André Moreira, não vacilou e colocou a bola no fundo das redes. Já em cima do apito para o descanso, o Santa Clara alargou a vantagem. O segundo tento dos comandados de João Henriques surgiu na sequência de uma excelente jogada, que terminou com o cabeceamento de Carlos Júnior. Dois golos em cima do intervalo animaram uma primeira parte morna.

No segundo tempo, manteve-se a toada do primeiro. O Belenenses SAD com mais bola, mas com dificuldades em materializar essa superioridade em golos. Os azuis encostaram o Santa Clara lá atrás, só que as ocasiões de perigo surgiam a espaços e de forma tímida. Aos 72’, Cassierra teve na cabeça a melhor oportunidade para o Belenenses, mas a pontaria do avançado esteve desafinada, à imagem da exibição do Belenenses SAD nesta tarde.

Anúncio Publicitário

Com esta vitória, o Santa Clara soma três jogos consecutivos a vencer e sobe, provisoriamente, ao nono lugar da Liga, com 26 pontos. O Belenenses SAD continua aflito no 15.º lugar, com apenas 18 pontos.

A FIGURA

Fonte: CD Santa Clara

Eficácia do ataque do CD Santa Clara – Extremamente eficazes, os atacantes dos insulares conseguiram resolver o jogo no final da primeira parte ao aproveitarem as facilidades defensivas concedidas pelos azuis. No primeiro golo, Schettine aproveitou com oportunismo o erro de Danny e no segundo foi Carlos Jr. a beneficiar do desacerto defensivo dos azuis para fazer a rede balançar novamente.

O FORA DE JOGO

Fonte: Liga Portugal

Desacerto da defensiva do Belenenses SAD – Esteve mal esta tarde a defesa dos azuis, deitando tudo a perder no final da primeira parte, quando a equipa até tinha estado melhor do que o adversário. Danny perdeu a bola em zona proibida e deu origem ao primeiro golo do jogo, enquanto no segundo golo foi Carlos Jr. a aproveitar o espaço entre os centrais azuis para marcar.

ANÁLISE TÁTICA – BELENENSES SAD

Petit apresentou a equipa num 3-4-3, que passava a 5-3-2 no momento defensivo. A atacar, a equipa do Belenenses SAD saía a jogar com uma linha de três defesas composta por Gonçalo Silva, Nuno Coelho (saiu lesionado aos 6’, dando o lugar a Danny) e Chima. Nilton e Marco Matias abriam no corredor, com Show e André Santos a povoar o miolo. Na frente de ataque, Varela e Licá surgiam no apoio a Cassierra. No momento defensivo, Marco Matias e Nilton desciam e juntavam-se à linha defensiva, com Varela a surgir na linha média e Licá e Cassierra mantendo-se como os homens mais adiantados da equipa.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Moreira (6)

Gonçalo Silva (4)

Nuno Coelho (-)

Chima (4)

Nilton (5)

Show (6)

André Santos (5)

Matias (5)

Varela (6)

Licá (5)

Cassierra (6)

SUBS UTILIZADOS

Danny (4)

Chano (5)

Edi Semedo (-)

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

A equipa insular entrou a atacar na partida com um esquema que variou entre um 4-4-2 em losango e um 4-3-1-2 sempre com Lincoln a aparecer atrás dos pontas de lança, e Anderson Carvalho como pivot. As trocas posicionais de Francisco Ramos e Costinha trouxeram uma dinâmica diferente ao ataque do CD Santa Clara, que se tornava, assim, mais imprevisível. Como já é habitual, os comandados de João Henriques estiveram muito à vontade a construir jogo a partir de trás, mas sempre atentos à profundidade dada por Schettine.

Defensivamente, a equipa posicionava-se num 4-4-2 com Lincoln a juntar-se aos médios centro. Excetuando nos últimos minutos, raros foram os momentos em que CD Santa Clara não controlou o jogo, tanto ofensiva como defensivamente.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco (7)

Rafael Ramos (6)

João Afonso (5)

Fábio Cardoso (6)

Zanussi (5)

Costinha (6)

Anderson Carvalho (6)

Francisco Ramos (6)

Lincoln (6)

Carlos Jr. (8)

Schettine (8)

SUBS UTILIZADOS

Rashid (5)

Thiago Santana (-)

Zé Manuel (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Belenenses SAD

BnR: Petit, o Belenenses rematou muito na 2ª parte, mas tem apenas um remate enquadrado com a baliza. O que é que faltou hoje em termos de finalização?

Petit: “Não foi só a finalização. Entrámos mal no jogo, muitas perdas de bola, muitos passes falhados. No entanto, não deixámos o Santa Clara criar oportunidades. Conseguimos jogar bem por dentro, por fora e criámos algumas oportunidades, uma pelo Licá, outra pelo Marco Matias, mas não definimos bem. Depois os golos aos 44’ e 47’ mataram o jogo. Na segunda parte tivemos muitas oportunidades, mas faltou acerto, a finalização não foi o melhor para nós hoje.”

CD Santa Clara

BnR: João, a terceira vitória consecutiva na Liga deixa o Santa Clara a seis pontos do quinto lugar. A luta por um lugar europeu está em cima da mesa?

João Henriques: “Santa Clara tem os pés bem assentes no chão. Tem um objetivo claro que é a manutenção e vamos persegui-lo até que seja uma realidade. Temos também objetivos internos, que passam por melhorar a classificação e a pontuação do ano passado. Temos os pés bem assentes no chão, estamos na Primeira Liga há dois anos e a curto-médio prazo o Santa Clara poderá pensar noutras coisas. Nesta altura do campeonato e do crescimento do clube, olhamos primeiro para a manutenção.”

Rescaldo de opinião de Frederico Seruya e Gonçalo Batista

Foto de Capa: Bola na Rede

Artigo revisto por Joana Mendes